Google

As origens humildes do novo CEO da Google

As origens humildes do novo CEO da Google

Sundar Pichai é o novo CEO da Google, mas a vida nem sempre sorriu a este engenheiro indiano. Conheça as origens do novo líder de uma das mais importantes empresas tecnológicas da atualidade.

O "sonho americano" está vivo e recomenda-se: que o diga Sundar Pichai que, aos 43 anos, acabou de se tornar no novo "homem-forte" da Google.

Com a criação da empresa "guarda-chuva" Alphabet, que aglomera todas as apostas da Google nas mais diversas áreas, a empresa original passou das mãos de Larry Page e Sergey Brin, os seus criadores, para as mãos de um engenheiro indiano relativamente desconhecido do "mainstream", mas já há muito líder não-oficial da empresa.

A novidade apanhou de surpresa muita gente e é uma boa notícia para a Índia, o seu país de origem: o país reforça, assim, a sua importância no mundo tecnológico norte-americano (onde já marcava lugar com Satya Nadella, da Microsoft).

Mas, mais do que para o seu país, a notícia é, obviamente, importante para Pichai, servindo como afirmação de um percurso feito de muito esforço e algumas vitórias.

Pichai nasceu e cresceu em Chennai, na Índia. Na escola, era capitão da equipa de cricket e sonhava ser engenheiro. O sonho cumpriu-se quando entrou para o curso de engenharia metalúrgica no Indian Institute of Technology, em Kharagpur, onde brilhou.

As origens humildes de Pichai ajudaram-nos, desde cedo, a lutar pelos seus objetivos. A família vivia numa casa com apenas duas divisões e Pichai dormia no chão da sala de estar com o irmão mais novo. Não tinham televisão, nem automóvel e só conseguiram ter telefone em casa quando Pichai tinha 12 anos.

Viviam do ordenado do pai, que trabalhava numa companhia de eletricidade local. Foi o pai que acabou por lhe incutir o gosto pela tecnologia. "Costumava chegar a casa e falar com ele sobre o meu dia de trabalho e os desafios que enfrentava", confessou Regunatha Pichai, numa entrevista à Bloomberg.

Quando terminou os estudos, o talento do jovem engenheiro já era suficiente para lhe oferecerem uma bolsa de estudo em Stanford, uma das universidades de onde saíram alguns dos contributos mais importantes para a tecnologia atual.

Para viajar para os EUA e beneficiar da sua bolsa, Pichai teve de viajar de avião: o bilhete custava mais que o ordenado que o pai recebia num ano inteiro de trabalho.

Os talentos de Pichai já há muito que são fundamentais à Google, para onde entrou em 2004. No "palmarés" conta com uma influência importante em produtos como o Google Chrome e o sistema operativo Android.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG