O Jogo ao Vivo

Redes sociais

Terminou o "apagão". Facebook, Instagram e WhatsApp estão de volta

Terminou o "apagão". Facebook, Instagram e WhatsApp estão de volta

O Facebook, assim como o Instagram e o WhatsApp, da empresa de Mark Zuckerberg, estiveram mais de seis horas em baixo, esta segunda-feira. Os responsáveis multiplicaram-se em pedidos de desculpa à "enorme comunidade de pessoas e empresas que dependem" da empresa, mas continuavam, ao final da noite, sem revelar a causa do "apagão" que afetou as redes sociais.

Durante cerca de seis horas, os utilizadores do Facebook, Instagram e WhatsApp não conseguiram aceder aos sites e aplicações da empresa de Zuckerberg. O "apagão" provocou uma queda drástica nas ações da empresa, traduzindo-se na perda de mais de seis mil milhões de dólares (cerca de 5,2 mil milhões de euros) para o fundador do Facebook, refere a agência de informação financeira Bloomberg.

Mark Zuckerberg reagiu ao final da noite desta segunda-feira ao "apagão" geral, pedindo desculpa aos utilizadores. "Facebook, Instagram, WhatsApp e Messenger estão a voltar a ficar online agora. Peço desculpa pela interrupção de hoje - eu sei o quanto confia nos nossos serviços para ficar conectado com as pessoas de quem gosta", afirmou, sem adiantar pormenores sobre o sucedido.

Ainda não se conheciam as causas do problema quando dois trabalhadores do Facebook disseram, sob anonimato, ao jornal americano "The New York Times" que a possibilidade de a empresa ter sido hackeada estava fora de questão. Isto porque, esclareceram, seria "improvável" que um ataque afetasse tantas aplicações ao mesmo tempo. Os próprios sistemas internos dos funcionários do Facebook deixaram de funcionar.

Os especialistas em segurança apontaram a possibilidade de uma "configuração incorreta dos servidores do Facebook" como a possível raiz do problema, não permitindo aos utilizadores aceder aos sites da empresa.

Ainda de acordo com os mesmos trabalhadores, quando acontecem situações deste género, o procedimento habitual é regressar à configuração anterior. No entanto, os problemas do Facebook foram "mais complexos". Falava-se até da necessidade de uma eventual "atualização manual".

PUB

De acordo com o site DownDetector, que regista as reclamações dos utilizadores sobre problemas com serviços online, as falhas começaram depois das 16 horas desta segunda-feira, em todo o Mundo, inclusive em Portugal.

Pouco tempo depois, no Twitter, Andy Stone, gestor de comunicação da Facebook, veio pedir desculpas aos utilizadores pelo "inconveniente".

"Estamos cientes de que algumas pessoas estão a ter problemas para aceder às nossas aplicações e produtos. Estamos a trabalhar para que as coisas voltem ao normal o mais rápido possível e pedimos desculpas por qualquer inconveniente", escreveu.

Também o responsável de tecnologia da Facebook, Mike Schroepfer, pediu desculpa, mais tarde, pelas interrupções. "Estamos com problemas de rede e as equipas estão a trabalhar para apurar e restaurar o mais rápido possível", escreveu também no Twitter.

Esta não é a primeira vez que o Facebook e o Instagram enfrentam este tipo de problemas.

As falhas no acesso aos serviços foram um dos assuntos mais comentados esta segunda-feira no Twitter, que deu um "olá, literalmente, a todos" os utilizadores que entretanto migraram para aquela rede social.

A indisponibilidade desta segunda-feira acontece precisamente um dia após Frances Haugen, uma ex-funcionária que acusou o Facebook de ter favorecido elites e prejudicado adolescentes, ter revelado a sua identidade no programa "60 minutos", do canal de televisão norte-americano CBS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG