Gondomar

Adolescente roubou alunos, foi detido e fugiu de centro educativo

Adolescente roubou alunos, foi detido e fugiu de centro educativo

Usava faca e cão para ameaçar vítimas. Tinha a ajuda de outros dois rapazes que, apesar de identificados, não foram detidos por terem menos de 16 anos.

Um adolescente, de 16 anos, roubou dinheiro a vários alunos de uma escola de Fânzeres, em Gondomar, usando facas e até um cão de raça potencialmente perigosa para ameaçar as vítimas. Com um mandado emitido em seu nome, o jovem foi detido e entregue pela GNR aos cuidados do Centro Juvenil de Campanhã, no Porto, mas, cerca de meia hora depois, repetiu o que tinha feito uns meses antes: fugiu sem deixar rasto. Outros dois rapazes também foram identificados como coautores dos roubos, mas não foram detidos por terem menos de 16 anos.

Os roubos tiveram sempre o mesmo modo de atuação. O grupo de três rapazes esperava que os estudantes saíssem de uma escola situada em Fânzeres e, em plena rua, ameaçava-os para lhes retirar o dinheiro que tinham na sua posse. Após diversas queixas, os militares do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Gaia da GNR conseguiram apurar que, num dos ataques, um aluno foi ameaçado com uma faca e, noutro caso, foi utilizado um cão da raça Boxer para amedrontar a vítima. Situações houve em que os estudantes também foram agredidos.

As diligências efetuadas pela GNR permitiram, ainda, identificar os autores dos roubos. Dois deles têm menos de 16 anos e, devido à tenra idade, não puderam ser detidos. Já o terceiro elemento, mesmo adolescente, foi detido no final da semana passada.

Trata-se de um rapaz que se encontrava sinalizado pelo tribunal de família e menores e que, inclusive, já tinha estado institucionalizado por diversas vezes em centros educativos, nomeadamente no Centro Juvenil de Campanhã, de onde havia fugido há alguns meses. Membro de uma família desestruturada, o jovem dispõe de duas moradas, uma em São Pedro da Cova e outra em Rio Tinto, ambas no concelho de Gondomar, mas, ao longo de semanas, não foi localizado em nenhuma delas. Nem a própria família soube indicar o seu paradeiro.

Apesar das dificuldades, os militares do NIC detiveram o jovem e levaram-no à presença do juiz do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, que decretou que este ficasse obrigado a apresentações semanais no posto policial da sua área de residência. Em seguida, e cumprindo um mandado pendente, a GNR transportou o adolescente até ao Centro Juvenil de Campanhã, onde deveria permanecer institucionalizado. Contudo, cerca de 30 minutos depois, a GNR foi informada pelos responsáveis do Centro Juvenil que o jovem tinha fugido. Continua a monte e a ser procurado pelas autoridades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG