Justiça

GNR apreende bichas-de-rabear

AP

Dois homens e uma mulher foram identificados pela GNR de Lousada na posse de engenhos explosivos, chamados bichas-de-rabear, que poderão estar na origem de estragos provocados nas fachadas da câmara municipal e do tribunal, verificadas após as Festas de Lousada.

Em comunicado, a GNR explica que os militares de Lousada efetuaram "várias diligências com o intuito de se proceder à identificação e eventual detenção de indivíduos que têm por hábito ou tradição fazer a detonação de artefactos explosivos conhecidos por bichas-de-rabear, nas artérias da cidade, com especial incidência junto aos edifícios do Tribunal e da Câmara Municipal, e que invariavelmente provocam nestes e nos edifícios circundantes, danos nas suas fachadas". Os militares de Lousada também apreenderam "uma grande quantidade de artefactos explosivos".

A GNR lembra ainda que para além dos "danos materiais que este tipo de artefactos provocam os mesmos podem causar também lesões físicas graves aos cidadãos, quer aos que os detonam bem como àqueles que ali se juntam para assistirem ao lançamento desses artefactos".

A identificação dos indivíduos contou com a colaboração do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Felgueiras.

As pinturas danificadas e os vidros partidos nas fachadas, quer da câmara quer do tribunal, foram constatadas após as festas de Lousada", que decorreram de 24 a 28 de julho.