O Jogo ao Vivo

Portalegre

Cavaleiro João Moura arrisca dois anos de prisão por maltratar cães

Cavaleiro João Moura arrisca dois anos de prisão por maltratar cães

Um dos animais resgatados a João Moura já morreu e outro está internado. Associação que recolheu nove dos 18 cães diz que estão em "estado crítico".

Os 18 cães resgatados esta semana ao cavaleiro João Moura por alegados maus tratos estão de tal forma debilitados que "não podem receber visitas nem ser adotados". Um dos animais já morreu e há vários em estado crítico, denuncia uma associação.

"Na verdade, nenhum deles sofre de nenhuma doença específica. Estão tão debilitados e subnutridos que têm várias doenças associadas à forma como eram tratados", relatou ao JN a responsável por um dos centros onde foram acolhidos alguns dos cães resgatados.

O maestro internacional do toureio, com 59 anos de idade e mais de quatro décadas de alternativa, arrisca uma pena até dois anos de prisão pelo crime de maus-tratos a animais. Em declarações a uma publicação tauromáquica, o cavaleiro garantiu que não maltratou os animais. Nos últimos anos, Moura renegociou uma dívida de meio milhão de euros ao Fisco.

João Moura foi detido na passada quarta-feira, na sua herdade em Monforte por suspeita do crime de maus tratos a animais de companhia. Foi interrogado no Tribunal de Portalegre e saiu em liberdade com Termo de Identidade e Residência. A detenção surgiu após uma denuncia anónima que originou uma investigação do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana (GNR).

Ao que foi possível apurar, esta não foi a primeira vez que o cavaleiro foi investigado pela forma como tratava os cães de raça Galgo, de que é um dos maiores criadores em Portugal.

A divulgação, por parte da GNR, de fotografias dos cães em visível estado de magreza e dos "espaços insalubres" onde se encontravam levou a que várias pessoas quisessem acolher os animais ou comparticipar financeiramente no seu tratamento.

O Cantinho da Milú, um dos espaços que acolheu nove dos cães, escreveu no Facebook que "os meninos estão a descansar e continuam a ser avaliados pelo médico veterinário". "Uma fêmea está internada. Com o devido timing, todos vão fazer análises completas, ser vacinados, desparasitados e esterilizados. Serão todos microchipados", informou aquela associação de Setúbal que acolhe 750 animais e, em menos de uma hora, recebeu mais mil euros em donativos.

Outras Notícias