Exclusivo

Condenado a 22 anos de prisão por matar mãe à fome

Condenado a 22 anos de prisão por matar mãe à fome

O Tribunal de Setúbal condenou um antigo radialista a 22 anos de prisão por matar a mãe de 82 anos à fome em Grândola.

Carlos Rosa, 55 anos, foi condenado por homicídio qualificado e o tribunal teve em conta que não mostrou qualquer sinal de arrependimento ou autocrítica. Quando foi confrontado na sala de audiências com as fotografias do cadáver da vítima prostrada na cama da própria casa, com escaras pelo corpo e com fezes secas na metade inferior, o arguido não esboçou qualquer remorso.

Carlos negou tudo e até jurou pela sua saúde que tomava conta da sua mãe, Isabel Velez. Garantiu que um dia antes da morte mudou e lavou a roupa da vítima, que a alimentava constantemente e que apenas dois dias antes é que ficou acamada. O coletivo de juízes não deu qualquer credibilidade aos argumentos e comprovou o crime mais grave imputado pelo Ministério Público, homicídio qualificado. O tribunal declarou ainda a indignidade sucessória.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG