Polícia

Constituído arguido pela GNR por devassa da vida privada em Alijó

Constituído arguido pela GNR por devassa da vida privada em Alijó

Um homem de 24 anos foi constituído arguido no âmbito de um crime de devassa da vida privada, no concelho de Alijó, e vários materiais informáticos e eletrónicos foram apreendidos.

O Comando Territorial de Vila Real disse, em comunicado, que há cerca de um mês que a GNR investigava a divulgação de vídeos que dizem respeito à vida privada e que militares do Posto de Alijó realizaram na terça-feira uma busca domiciliária e outra num veículo.

No decorrer das buscas, segundo a Guarda, foram apreendidos sete telemóveis e dispositivos portáteis para armazenamento de dados como seis cartões de memória "micro SD", duas "pen drives" USB, cinco discos rígidos, três CD-ROM, um cartão de memória "SD" e ainda 0,9 gramas de folhas de canábis e 48 artigos pirotécnicos.

PUB

A GNR disse que o homem foi constituído arguido pelo crime de devassa da vida privada.

No decorrer das diligências policiais, foram elaborados dois autos de contraordenação, um por consumo de produto estupefaciente e outro ao abrigo do regime jurídico das armas e munições.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Alijó.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG