Premium

Consumo de sites e televisão pirata dispara na pandemia

Consumo de sites e televisão pirata dispara na pandemia

Em Portugal houve um aumento de perto de 50% no tráfego em sites marginais da internet. Associação critica empresas gigantes do digital por permitirem contornar bloqueios das autoridades.

O confinamento obrigatório fez disparar a procura de televisão pirata e os sites de "streaming" ilegal na Internet, onde é possível ver ou descarregar conteúdos protegidos por direitos de autor. Um estudo de uma empresa especializada em pirataria estima que, em Portugal, o tráfego de sites piratas tenha subido perto de 50%, levando alguns a aumentar a capacidade de resposta por se terem tornado mais lentos devido ao número de utilizadores.

A Associação Portuguesa de Defesa de Obras Audiovisuais (FEVIP) acusa as grandes multinacionais do digital de favorecerem a pirataria e assume haver nesta altura cerca de 310 mil lares equipados com sistemas de TV ilegal. A Polícia Judiciária tem assinado o aumento, embora não tenha dados que permitam quantificá-lo.