Bragança

Seis estudantes detidos por tráfico de droga em escolas

Seis estudantes detidos por tráfico de droga em escolas

A GNR anunciou, esta quarta-feira, a detenção de cinco homens e uma mulher, entre os 17 e os 20 anos, todos estudantes, por tráfico de estupefacientes, em escolas dos concelhos de Bragança, Macedo de Cavaleiros e Vimioso.

O capitão João Sousa, comandante do destacamento da GNR de Bragança, adiantou que foi iniciada uma investigação há seis meses depois de dois estudantes do Agrupamento de Escolas de Macedo de Cavaleiros terem sido hospitalizados devido ao consumo de haxixe. Um desses jovens apresentava um quadro clínico grave.

A Guarda encetou, então, uma investigação nos concelhos de Macedo de Cavaleiros, que permitiu a realização de diversas diligências que levaram ainda aos concelhos de Bragança e de Vimioso, culminando com a detenção, na terça-feira, dos seis suspeitos e no desmantelamento de uma rede de tráfico de droga que operava nas proximidades e no interior dos estabelecimentos de ensino destas localidades, bem como em espaços de diversão noturna procurados maioritariamente por jovens estudantes.

"No seguimento da ação foi dado cumprimento a 11 mandados de busca, oito domiciliários e três em veículos, que culminaram com a detenção dos suspeitos e com a apreensão de diverso material", informou João Sousa. Os detidos são estudantes em Macedo de Cavaleiros e em Bragança e alguns têm antecedentes criminais por ilícitos da mesma natureza.

Além de usarem computadores e telemóveis para trocarem mensagens, os elementos do grupo recorriam a consolas de jogos para comunicarem entre eles e os clientes, de modo a marcarem encontros e consumarem os negócios.

Entre material apreendido estão 65 gramas de canábis, três doses de haxixe, cinco pastilhas MDMA, uma viatura, dez telemóveis, computadores, uma pistola de ar comprimido, bem como diverso material usado no corte, pesagem e acondicionamento de produto estupefaciente e ainda 286 euros em numerário.

"O mais importante desta operação foi o terminar com o tráfico de estupefacientes no interior das escolas, que já tinha alguma dimensão. O ​​​​​​​importante é impedir que jovens na casa dos 13 -18 anos tenham acesso fácil a drogas", rematou o capitão João Sousa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG