Polícia

Recluso dirigia rede de tráfico de droga a partir da cadeia do Porto

Recluso dirigia rede de tráfico de droga a partir da cadeia do Porto

As autoridades identificaram rede de tráfico de droga gerida por recluso de cadeia no Porto. A companheira foi detida.

O Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Mirandela, numa operação conjunta com a PSP e o Corpo da Guarda Prisional do Estabelecimento Prisional do Porto, deu cumprimento, esta segunda-feira, a um mandado de busca domiciliária, um mandado de busca no estabelecimento prisional e um mandado de detenção, informou hoje o Comando Territorial de Bragança.

Em comunicado, aquela força de segurança revela que "foram feitas diligências que permitiram perceber que a rede era dirigida através do estabelecimento prisional do Porto, por um indivíduo de 34 anos de idade, a cumprir pena por tráfico de estupefacientes, que tinha como suporte a sua companheira com 30 anos de idade, residente no concelho do Porto e agora detida sob mandado judicial", adianta a nota da GNR.

Nesta operação, que contou ainda com o reforço da secção cinotécnica de Bragança, foi apreendido diverso material que a GNR considera ser "importante prova para o processo", nomeadamente, nove telemóveis, dois tablets, algumas doses de haxixe e cocaína, e registos escritos de transações financeiras.

A mulher detida ficará nas instalações da GNR até ser presente no Tribunal Judicial de Mirandela, esta terça-feira, para primeiro interrogatório.

Casal detido em setembro

No âmbito da mesma investigação, em setembro do ano passado foi detido um casal responsável pela distribuição de haxixe, que está agora em prisão preventiva.

PUB

Na altura, a GNR de Mirandela apurou que o casal adquiria produto estupefaciente no distrito do Porto e fazia o seu transporte e subsequente revenda a clientes na cidade de Mirandela e no concelho da Mealhada.s.

No seguimento das diligências, foram realizadas duas buscas domiciliárias, onde foi apreendido diverso material, entre o qual mais de 1500 doses de haxixe, 34 comprimidos de ecstasy, LSD líquido e em gelatina, um computador portátil uma viatura e cerca de 53 mil euros em numerário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG