Esquema de doping

Diretor desportivo e massagista da W52-F.C. Porto libertados

Diretor desportivo e massagista da W52-F.C. Porto libertados

Nuno Ribeiro e José Rodrigues, suspeito de integrar esquema de dopagem de atletas, ficam obrigados a apresentações semanais no posto policial e a suspender funções. Medidas de coação impostas proíbem contactos entre arguidos.

Nuno Ribeiro, diretor desportivo da W52-F.C. Porto, e José Rodrigues, massagista da mesma equipa de ciclismo, foram libertados ao início da noite de segunda-feira. Os dois homens, detidos no dia anterior por serem suspeitos de crimes relacionados com a utilização de produtos de dopagem de atletas, ficam, no entanto, obrigados a apresentações semanais no posto policial da área de residência. Também estão obrigados a suspender as funções que desempenhavam na equipa de ciclismo e de contactar um com o outro, assim como com os restantes arguidos deste processo.

PUB

Nuno Ribeiro foi detido no domingo no Hotel Turismo de Trancoso e foi o próprio a informar a organização do Grande Prémio de Ciclismo O Jogo de que a equipa, umas das favoritas a vencer a prova que estava a decorrer, não iria alinhar na partida marcada para esse dia.

Na altura, já estavam no terreno 120 inspetores e vários procuradores da República, para dar cumprimento a dezenas de mandados de busca, do Norte ao Sul do país, em instalações da W52-F.C. Porto e em casa de dirigentes, pessoal técnico e atletas.

José Rodrigues, além de massagista da W52, é também diretor desportivo da equipa de ciclismo Fortunna Maia, esta alheia ao caso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG