O Jogo ao Vivo

Investigação

Dois militares suspeitos de agressões a PSP retidos na Marinha

Dois militares suspeitos de agressões a PSP retidos na Marinha

Dois militares de tropas de elite estão retidos em instalações das Forças Armadas por serem suspeitos de terem participado na agressão violenta a um agente da PSP, na madrugada de sábado, à porta da discoteca Mome, em Lisboa. A vítima foi induzida em coma e está em estado crítico.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, a investigação da Polícia Judiciária já identificou três suspeitos, mas só dois foram localizados. São dois fuzileiros da Marinha Portuguesa. De acordo com a CNN Portugal, preparavam-se para sair do país para participar numa missão das Nações Unidas no estrangeiro, nos próximos dias.

Recorde-se que o polícia está internado, em estado muito grave, no Hospital São José, em Lisboa, depois de, na madrugada de sábado, ter sido violentamente agredido, à porta de uma discoteca da capital. O agente da PSP estava de folga e foi atacado quando, com outros três colegas polícias, tentava terminar com uma zaragata, junto à entrada do espaço de diversão noturna.

PUB

Segundo o JN apurou, o jovem polícia aproveitou a noite de folga para se divertir com os amigos numa discoteca situada na Avenida 24 de Julho e todos estavam já no exterior do espaço de diversão noturna quando se aperceberam de confrontos físicos envolvendo outros clientes e intervieram para tentar terminar com a zaragata. Essa intervenção levou, contudo, a que fossem os próprios polícias a serem agredidos.

O JN sabe que as imagens de videovigilância e as primeiras inquirições de testemunhas, assim como a partilha de informação entre polícias foram fundamentais para que a brigada de homicídios da PJ de Lisboa chegasse à identificação dos indivíduos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG