Tribunal de Coimbra

Ex-agente da PSP recusa ter alterado escalas para receber por serviços remunerados

Ex-agente da PSP recusa ter alterado escalas para receber por serviços remunerados

Um antigo agente da PSP recusou, esta segunda-feira, no Tribunal de Coimbra, ter cometido ilegalidades nas escalas de serviços remunerados, assegurando que os atribuía a si próprio e a outros agentes por serem os que estavam mais disponíveis.

O homem, de 53 anos, é acusado pelo Ministério Público de receber 33 mil euros por falsificar escalas de serviço entre 2008 e 2012, atribuindo-as a agentes que estavam de baixa ou de férias para ir ele ou outros agentes da sua confiança.

"Não recebia os formulários de baixas ou de indisponibilidades", afirmou o ex-agente ao tribunal.

PUB

O arguido admitiu que outros agentes lhe entregaram dinheiro de serviços para os quais estavam escalados mas que não fizeram, dando o exemplo do concerto dos U2 no Estádio Cidade de Coimbra, em outubro de 2010, em que um agente estaria de serviço todo o evento, mas ficou só até às 21 horas. "Não estou recordado, mas é provável que ele me tenha entregue o dinheiro depois", afirmou.

Quanto aos serviços, assegurou que eram sempre os mesmos que os faziam porque eram os mais disponíveis. "Já antes desses serviços serem remunerados eram sempre estes agentes que os faziam, e aí ninguém se queixava", criticou.

Apontou ainda que era conveniente a alguns colegas estarem escalados para serviços que depois não faziam. "Precisavam de estar escalados para ter justificação para fazer outras coisas", contou, sem especificar.

Ouvido por videochamada

O arguido está a cumprir 11 anos de prisão no Estabelecimento Prisional de Évora por assaltos a residências nos concelhos da Lousã e Miranda do Corvo.

Esta segunda-feira foi ouvido por videoconferência devido à greve dos trabalhadores dos serviços prisionais, não tendo havido elementos que o pudessem transportar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG