Exclusivo

Funcionário público guardava quase 51 mil ficheiros com menores

Funcionário público guardava quase 51 mil ficheiros com menores

Um assistente operacional de uma empresa pública de Beja vai ser julgado brevemente por um crime continuado de pornografia de menores, na forma agravada.

Carlos P., de 26 anos, começou por ser acusado pelo Ministério Público (MP) de Beja, no dia 5 de novembro, de 50.938 crimes de pornografia de menores - um crime por cada ficheiros de vídeo ou fotografia de menores, a grande maioria de crianças com menos de 14 anos, apreendidos ao arguido.

Mas, para evitar o julgamento, o indivíduo pediu a abertura de instrução do processo, e o juiz de instrução criminal reduziu aqueles crimes todos a um único crime, cometido na forma continuada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG