Tribunal

GNR de Vila Verde condenado por perseguir três magistrados

GNR de Vila Verde condenado por perseguir três magistrados

Carlos Lima, guarda da GNR de Vila Verde, foi condenado pelo Tribunal de Braga, na tarde desta quarta-feira, a quatro anos e quatro meses de prisão, suspensa por igual período, por crimes de perseguição a três magistrados da comarca vilaverdense.

Para Carlos Lima, de 38 anos, o Ministério Público tinha pedido pena de prisão efetiva, mas sem quantificar, uma vez que o guarda foi julgado sob acusações de perseguições, injúrias e difamações agravadas, visando uma juíza e dois procuradores,

O arguido terá perseguido e injuriado uma juíza e dois procuradores do MP de Vila Verde, ao sentir-se "injustiçado" em duas situações com intervenção daqueles magistrados.

PUB

A juíza Alda Sá Faustino concordou com o Ministério Público, considerando que os factos ficaram provados. Ainda assim, para o advogado dos procuradores, Ana Isabel Peixoto e Nuno Filipe Ferreira, uma pena suspensa seria suficiente.

Na origem do processo estão comentários, escritos na Internet, em que Carlos critica as decisões e a postura profissional dos três magistrados, em 2020, por ter sido condenado. Além disso, chegou a abordá-los pessoalmente, quando saíam do carro, junto ao Palácio da Justiça, em Vila Verde, e no restaurante onde costumam almoçar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG