Premium

Brisa paga mais a ocupantes ilegais do que a donos de terrenos 

Brisa paga mais a ocupantes ilegais do que a donos de terrenos 

Indivíduo recebeu 250 mil euros por "indemnização" de "desalojamento do acampamento de etnia cigana". Proprietários receberam apenas 149 mil.

A AEDL - Auto Estradas do Douro Litoral, controlada pela Brisa, pagou 250 mil euros pelo desalojamento de um acampamento de pessoas de etnia cigana, que existia em Pedroso, Gaia, no âmbito do processo de expropriações para a construção da A32. O dinheiro foi recebido por Januário Maia da Fonseca, que não era proprietário de qualquer dos dois terrenos envolvidos no negócio. Aliás, Januário, que está implicado noutras expropriações polémicas, embolsou uma quantia substancialmente superior ao que receberam os próprios donos do pinhal alvo de expropriação.

Ao JN, a AEDL não apresenta qualquer explicação para este pagamento. Afirma, apenas, que "não comenta assuntos que estão a ser apreciados em processos judiciais".