Premium

Momo: desafio mortal da Internet já chegou a Portugal

Momo: desafio mortal da Internet já chegou a Portugal

Ocorrência verificada no Comando de Coimbra. Sem casos de Momo, PSP teve este ano duas situações de Baleia Azul, fenómeno que acredita estar "contido".

O Comando Territorial de Coimbra da Guarda Nacional Republicana (GNR) registou, este ano, uma ocorrência relacionada com o novo desafio viral lançado através do WhatsApp e do jogo Minecraft, protagonizado por uma sinistra figura chamada Momo. A informação foi avançada ao JN por fonte oficial da GNR que, por se tratar de caso único, não quis avançar mais pormenores.

É o primeiro caso relacionado com a Momo no nosso país, depois de, em agosto passado, a Polícia de Segurança Pública (PSP) ter lançado um alerta para este novo desafio na Internet e ao qual estão já associados vários suicídios de jovens. Contactados pelo JN, PSP, Procuradoria-Geral da República (PGR) e Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ) informaram não ter registo de casos associados à Momo.

Visto como um sucessor da Baleia Azul, este desafio passa por adicionar um número de telefone que começa por +81 e que corresponde ao indicativo do Japão. É aí que surge a Momo - imagem, explica a PSP, "de uma escultura de uma mulher-pássaro, exposta em 2016 numa galeria japonesa, em Tóquio" -, ameaçando os jogadores e seus familiares e incitando ao suicídio [ler ao lado]. As primeiras ocorrências terão sido reportadas na Rússia, mas há já casos de mortes de adolescentes associadas a este jogo no México, Colômbia, Brasil, Argentina e França - quase todas por enforcamento.

Baleia Azul "contido"

Relativamente ao desafio Baleia Azul, fonte oficial da PSP revelou terem sido registadas, desde o início deste ano, "apenas duas ocorrências", ambas na área do Comando de Lisboa. Pelo que, sublinha, "é de crer que o fenómeno esteja contido". A GNR informou não ter registada qualquer ocorrência.

A CNPDPCJ, por sua vez, fez saber que "a última situação sinalizada da Baleia Azul foi em finais de 2017". Recorde-se que, no ano passado, as comissões de Proteção de Crianças e Jovens tinham sinalizado 48 casos, nove dos quais com perigo efetivo.

Questionada, a PGR limitou-se a dizer que "oportunamente será efetuado um ponto de situação" sobre o jogo da Baleia Azul. Recorde-se que, em maio passado, e face à gravidade da situação, a então procuradora Joana Marques Vidal decidiu atribuir ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal a competência para dirigir a investigação dos casos relacionados com aquele jogo.

Atentas a estes fenómenos estão também as escolas, com ações (in)formativas, nomeadamente através da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento (CD). Numa lógica preventiva, explica ao JN Filinto Lima. "Quando nos apercebemos que o aluno está com esses jogos, temos o serviço de Psicologia e, semanalmente, um enfermeiro", acrescenta o presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas.

O princípio é o da comunidade educativa. Se o professor que leciona CD não dominar o tema, pode convidar alguém, um pai ou um técnico, que aborde o assunto.

Por último, frisa Manuel Pereira, presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares, é "preciso trabalhar com os pais, para estarem atentos, aprofundando abordagens".

ver mais vídeos