Apreensão

Recluso da Guarda apanhado com sete telemóveis no ânus

Recluso da Guarda apanhado com sete telemóveis no ânus

Foi a segunda vez esta semana que o estabelecimento prisional detectou artigos idênticos no corpo de reclusos.

A apreensão aconteceu quinta-feira, quando o recluso regressava de uma saída precária. Já andava sob a mira da polícia por se desconfiar que introduzia produtos ilegais na prisão e confirmou-se. Como o detetor de metais não sinaliza artigos dentro do corpo, a direção da cadeia pediu um mandado ao tribunal de execução de penas e o homem acabou por ser radiografado no hospital da Guarda.

A surpresa foi total porque o recluso não tinha um, nem dois, mas sete telemóveis antigos e de pequena dimensão, mais alguma droga, no ânus, retirados com a ajuda de um cirurgião da instituição de saúde. Como é da praxe em situações idênticas, a direção da cadeia abriu um processo e o recluso foi fechado numa cela disciplinar.

Podia ser um caso isolado, mas não foi, porque segundo o diretor do Estabelecimento Prisional EP) da Guarda "ainda esta semana foram detetados outros dois telemóveis no ânus de outro recluso", referiu Luís Couto.

No fim-de-semana passado, a mulher que se queixou depois de ter sido abusada sexualmente por um militar da GNR foi apanhada com pólen de haxixe que levava para o marido e, no ano passado, houve mais quatro visitas apanhadas com droga.