Matosinhos

Protesto na prisão de Custóias terminado

Protesto na prisão de Custóias terminado

Os reclusos da cadeia de Custóias, em Matosinhos, estão a recusar-se a regressar às celas.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, não se trata de um motim, mas o GISP - Grupo de Intervenção dos Serviços Prisionais foi acionado, apenas como medida de precaução.

Antes de se recusarem a entrar para as celas, os reclusos também rejeitaram o almoço, como forma de protesto.

O presidente do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), Jorge Alves, disse à agência Lusa que a resistência dos reclusos obrigou os guardas prisionais a disparar balas de borracha para o ar para reporem a ordem.

São cerca de 400 reclusos das alas A, B, e C e D que pacificamente se recusaram a obedecer a ordens dos guardas prisionais. Segundo uma fonte da Direção-geral dos serviços prisionais o protesto já terminou, sem que se registassem incidentes.

"A Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais informa que parte dos reclusos do Estabelecimento Prisional do Porto fizeram um protesto pacífico recusando o almoço e com resistência passiva ao encerramento. Os reclusos foram todos encerrados, tendo o trabalho de encerramento sido efetuado pelos guardas prisionais do Estabelecimento Prisional do Porto", adiantou a fonte.

ver mais vídeos