Exclusivo JN

Triatleta encontrado morto a 134 quilómetros de casa

Triatleta encontrado morto a 134 quilómetros de casa

Cadáver nu e em decomposição encontrado em Alcórrego tinha saco na cabeça e sinais de violência. A Polícia Judiciária está a investigar o caso.

As autoridades suspeitam que o cadáver encontrado anteontem na estrada municipal 1070, perto de Alcórrego, no concelho de Avis, distrito de Portalegre, é Luís Miguel Grilo, o triatleta amador e engenheiro informático, residente em Cachoeiras, Vila Franca de Xira, desaparecido a 16 de julho. O corpo foi descoberto a 134 quilómetros de casa.

A Polícia Judiciária (PJ) aguarda os resultados da autópsia, realizada anteontem, no Instituto de Medicina Legal de Portalegre, para ter a absoluta certeza de que o corpo encontrado pertence a Luís Miguel Grilo, de 50 anos, e esclarecer as circunstâncias da morte do atleta, que parece ter sido violenta.
Conforme o JN ontem noticiou, o corpo estava em adiantado estado de decomposição, encontrava-se sem roupa e com um saco na cabeça, tudo apontando para homicídio. A vítima terá sofrido pelo menos uma pancada na cabeça.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, o provável crime de homicídio não terá acontecido em Avis, já que existirão evidências de que o corpo foi deslocado para o local onde foi encontrado, na referida estrada nacional.

O cadáver foi descoberto por um popular que fazia uma caminhada na zona e sentiu um cheiro a putrefação, tendo alertado o posto de Avis da GNR. Por existirem suspeitas da prática de crime, a investigação do caso passou para a alçada da Polícia Judiciária, que fez deslocar um piquete para o local.
telemóvel encontrado

Após o desaparecimento a 16 de julho, as autoridades reconstituíram o percurso de Luís Grilo desde casa, em Cachoeiras, Vila Franca de Xira. Em Casais da Marmeleira, na freguesia de Cadafais, concelho de Alverca, foi encontrado o telemóvel, a 18 de julho. A PJ ouviu testemunhas com quem o atleta terá falado antes de desaparecer.
Luís Miguel Grilo saiu de casa no dia 16 do mês passado, pelas 16.30 horas. Disse à mulher que ia fazer um treino de hora e meia a duas horas. Os investigadores têm tentado apurar se o engenheiro informático tinha desentendimentos ou inimigos, que não sejam do conhecimento da família. O alerta do desaparecimento foi dado pela mulher e familiares na GNR de Castanheira do Ribatejo.
Após vários dias de buscas, a GNR deu as operações por concluídas e entregou o caso à PJ, que passou a explorar a hipótese de crime, mantendo em aberto as teses de acidente, rapto e desaparecimento voluntário.

A PJ enviou uma equipa de especialistas em casos de desaparecimentos, que acompanhou as operações desde as primeiras horas. Mas, como as buscas no terreno se revelaram infrutíferas, o processo passou para a alçada dos inspetores especializados em homicídios.

O corpo foi encontrado anteontem pelas 9 horas por um popular, a 134 quilómetros da casa do triatleta, em Cachoeiras, Vila Franca de Xira. O caso fez soar alarmes porque o cadáver encontrava-se com um saco de plástico na cabeça.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

ver mais vídeos