Violência

Investigadas três mortes em ações da PSP e da GNR

Investigadas três mortes em ações da PSP e da GNR

Inspeção-Geral da Administração Interna recebeu, em 2021, o maior número de queixas contra as forças policiais

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) está a apurar se a morte de três pessoas ocorreu devido à atuação das forças de segurança. As investigações iniciaram-se após denúncias efetuadas em 2021, ano em que foram apresentadas 1174 queixas contra os diferentes órgãos policiais. É o maior número de sempre e representa uma subida superior a 9% relativamente a 2020.

Os dados foram revelados pela IGAI à Lusa e mostram que, entre as 1174 queixas registadas, 293 vieram diretamente dos tribunais e da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais. E desvendam, igualmente, que a PSP, alvo de 565 participações, é a força policial mais visada. Segue-se a GNR, com 352 queixas, e o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, com 62 denúncias.

PUB

Cerca de 60% das queixas analisadas pela IGAI dizem respeito à violação dos deveres de conduta e ofensas à integridade física. Mas também estão sob análise 119 queixas por abuso de autoridade.

Mais preocupante, contudo, são as três denúncias relacionadas com eventuais mortes às mãos das forças de segurança. Duas envolveram agentes da PSP e a outra aconteceu com militares da GNR. O JN tentou apurar, junto da IGAI e do Ministério da Administração Interna, pormenores sobre estas situações mortais, mas tal não foi possível até ao fecho desta edição.

A crescer desde 2017 estão ainda os processos contra polícias instaurados pela IGAI. No ano passado, foram 1300, mais 53 do que os contabilizados em 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG