Seixal

Juiz recusa levar a tribunal dois agentes da PSP por agressões no Bairro da Jamaica

Juiz recusa levar a tribunal dois agentes da PSP por agressões no Bairro da Jamaica

O juiz de Instrução Criminal do Seixal recusou levar a tribunal dois agentes da PSP que estiveram envolvidos na situação de agressões entre moradores do Bairro da Jamaica e esta força policial. Assim, vão a tribunal quatro moradores e um agente da esquadra da PSP de Cruz de Pau, os que estavam inicialmente acusados pelo Ministério Público.

O agente da PSP responde pelo crime de ofensas à integridade física simples e os quatro moradores por resistência e coação, estando alguns deles ainda acusados de outros crimes, designadamente ameaça agravada, ofensas à integridade física qualificadas e injúria.

As agressões ocorreram na manhã de domingo, dia 20 de janeiro de 2019. Os elementos da PSP foram chamados a uma situação de confrontos entre duas mulheres na sequência duma festa que se deu pela madrugada dentro.

No local, PSP e moradores envolveram-se em confrontos que tiveram réplicas durante as semanas seguintes. A onda de violência marcou várias noites de Setúbal, Odivelas, Loures e Sintra. Dezenas de contentores e viaturas, entre as quais autocarros, foram reduzidos a cinzas.

A esquadra da PSP no Bairro da Bela Vista, Setúbal, foi um dos alvos. Na madrugada de terça-feira, 22 de janeiro, pelas três horas e sem que nada o fizessem prever, três cocktail molotov foram arremessados à fachada e entrada da esquadra, provocando danos no edifício e numa viatura estacionada nas imediações.

No Bairro da Jamaica decorre atualmente um processo de realojamento em massa. 64 famílias de um dos lotes já foram realojadas e o prédio em que habitavam foi desmantelado. É expectável que até 2022 o bairro desapareça e sejam atribuídas casas às 170 famílias residentes, num esforço financeiro global entre autarquia e IHRU a rondar os 15 milhões de euros.

Outras Notícias