Football Leaks

Juízes receiam que Rui Pinto volte a tentar extorquir

Juízes receiam que Rui Pinto volte a tentar extorquir

Os juízes do Tribunal da Relação de Lisboa dizem existir perigo de Rui Pinto voltar a tentar extorquir dinheiro, caso seja libertado. Isto porque o criador do Football Leaks tem elevados conhecimentos informáticos e não tem atividade profissional certa em Portugal.

O arguido é acusado de extorsão, na forma tentada, contra a Doyen Sports, fundo ligado ao futebol, e é este crime que permite a manutenção de prisão preventiva, por ser punível com pena de prisão superior a cinco anos. Os demais ilícitos por que está acusado não permitem a aplicação da medida de coação mais grave.

"Nada indica, com efeito, que tenha voltado a tentar realizar novas extorsões. Mas atente-se na sua situação atual pessoal...", lê-se no acórdão da Relação de Lisboa, subscrito pelos desembargadores Luís Gominho e José Adriano.

A que se referem os magistrados? Quando foi interrogado ao chegar a Portugal, em março do ano passado, Rui Pinto explicou à juíza que nunca teve um contrato de trabalho, vivendo em Budapeste desde fevereiro de 2015. Trabalhava então com a recolha de vários livros e peças, primeiro, e depois num negócio de revenda de tais artigos, com o seu pai, através de "sites próprios para isso".

Ler mais na edição impressa ou na versão e-paper

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG