Odemira

Julgado por invadir tasca de venda de aguardente de medronho 

Julgado por invadir tasca de venda de aguardente de medronho 

Tribunal de Beja também vai julgar arguido por atear fogo em contentores de lixo e "ecopontos".

Um cidadão ucraniano, de 26 anos, residente em Zambujeira do Mar, concelho de Odemira, tido como muito violento, face à ingestão excessiva de bebidas alcoólicas, é julgado esta terça-feira, no Tribunal de Beja, por três crimes de dano qualificado e dois de incêndio, um em construção e outro florestal.

Oleksandr Pihul, que está em prisão preventiva desde 17 de março, destruiu instalações propriedade da Câmara Municipal, incendiou ecopontos e contentores, deflagrou incêndios em floresta, mato e em máquinas e, numa feira em São Teotónio, Odemira, tentou invadir uma tasca de venda de aguardente de medronho.

Segundo o Ministério Público de Odemira, tudo se ficou a dever a ingestão de bebidas que deixaram o arguido altamente alcoolizado. O homem causou prejuízos estimados em mais de três mil euros.

O simples facto de o arguido não conseguir concretizar os seus objetivos quando estava sobre efeito do álcool, levava-o a fazer as mais diversas diabruras, sem olhar ao perigo que provocava para e si para terceiros.

Oleksandr Pihul vai ser julgado por um Tribunal Coletivo. Foram arroladas 30 testemunhas de acusação, envolvendo diversos inspetores da PJ de Setúbal, agentes da GNR de Odemira e muitos cidadão que presenciaram os atos do cidadão ucraniano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG