O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Mata imigrante escravizado em violenta agressão sexual na Póvoa de Varzim

Mata imigrante escravizado em violenta agressão sexual na Póvoa de Varzim

Oleg Beregovenko era um imigrante ucraniano, de 51 anos, que trabalhava em condições de escravidão em estufas da Póvoa de Varzim, onde foi assassinado. A morte, provocada por uma violenta sodomia, é imputada ao patrão, atualmente em prisão preventiva e que vai ser julgado brevemente por homicídio qualificado, escravidão e profanação de cadáver. A mulher do empresário, a mãe e um sócio também irão sentar-se do banco dos réus por terem ajudado na deslocação do corpo da vítima, destinado a tentar disfarçar o homicídio.

De acordo com a acusação do Ministério Público (MP) de Matosinhos, o principal arguido, Danny Eusébio, de 43 anos, é um horticultor com estufas situadas na freguesia da Estela. Para o ajudar, contratou Oleg em 2018, que já vivia em Portugal havia 10 anos. O empresário instalou-o numa rulote, aparcada num terreno agrícola, junto das estufas. Dormia numa cama improvisada feita de esponjas. Para cozinhar, tinha que usar um contentor, perto da rulote, equipado com eletrodomésticos vetustos. As necessidades fisiológicas tinham que ser feitas no meio das estufas e quando precisava de tomar banho, usava as instalações do armazém da empresa.

Sem amigos ou família em Portugal, Oleg apenas convivia com Danny, que em 2019 acabou por registar a vítima na Segurança Social declarando um ordenado de 600 euros mensais que nunca terá pago. Limitar-se-ia a dar lhe dormida, comida, tabaco e bebidas alcoólicas. Oleg embriagava-se quase diariamente. Ainda segundo o MP, o empresário agredia e insultava frequentemente a vítima.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG