Caça

Oito caçadores detidos em Vila Flor e Mirandela por práticas ilegais

Oito caçadores detidos em Vila Flor e Mirandela por práticas ilegais

Um dos caçadores já foi detido três vezes pela utilização de chamariz eletrónico.

O Comando Territorial da GNR de Bragança informou, esta terça-feira, que o Núcleo de Proteção Ambiental de Mirandela deteve, no passado domingo, oito caçadores por crimes contra a preservação da fauna e das espécies cinegéticas, nos concelhos de Mirandela e Vila Flor.

As detenções aconteceram no âmbito da "Operação Artémis", que decorre em todo o território nacional e que tem como objetivo a intensificação da fiscalização do ato venatório.

PUB

Logo pela manhã, os militares da GNR detetaram, em São Pedro de Vale do Conde (Mirandela), um cidadão, de 63 anos, que se encontrava a caçar aos tordos com recurso a chamariz eletrónico. Ao que apurou o JN, trata-se de um caçador residente no distrito de Braga que já foi detido três vezes pelo mesmo crime.

Já durante a tarde, em Valtorno, no concelho de Vila Flor, a GNR procedeu à detenção de sete indivíduos, com idades entre os 42 e os 66 anos, que caçavam tordos fora do horário e do local permitido para a prática daquela ato venatório.

Para além das detenções foram ainda apreendidas oito caçadeiras, centenas de cartuchos, um chamariz e 19 exemplares de espécies cinegéticas mortas.

Os indivíduos foram constituídos arguidos, sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência, libertados e notificados para comparecer nos tribunais de Mirandela e Vila Flor.

No último mês, o Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Mirandela deteve 20 caçadores por vários crimes em ato venatório.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG