Caça

Oito caçadores detidos em Vila Flor e Mirandela por práticas ilegais

Oito caçadores detidos em Vila Flor e Mirandela por práticas ilegais

Um dos caçadores já foi detido três vezes pela utilização de chamariz eletrónico.

O Comando Territorial da GNR de Bragança informou, esta terça-feira, que o Núcleo de Proteção Ambiental de Mirandela deteve, no passado domingo, oito caçadores por crimes contra a preservação da fauna e das espécies cinegéticas, nos concelhos de Mirandela e Vila Flor.

As detenções aconteceram no âmbito da "Operação Artémis", que decorre em todo o território nacional e que tem como objetivo a intensificação da fiscalização do ato venatório.

Logo pela manhã, os militares da GNR detetaram, em São Pedro de Vale do Conde (Mirandela), um cidadão, de 63 anos, que se encontrava a caçar aos tordos com recurso a chamariz eletrónico. Ao que apurou o JN, trata-se de um caçador residente no distrito de Braga que já foi detido três vezes pelo mesmo crime.

Já durante a tarde, em Valtorno, no concelho de Vila Flor, a GNR procedeu à detenção de sete indivíduos, com idades entre os 42 e os 66 anos, que caçavam tordos fora do horário e do local permitido para a prática daquela ato venatório.

Para além das detenções foram ainda apreendidas oito caçadeiras, centenas de cartuchos, um chamariz e 19 exemplares de espécies cinegéticas mortas.

Os indivíduos foram constituídos arguidos, sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência, libertados e notificados para comparecer nos tribunais de Mirandela e Vila Flor.

PUB

No último mês, o Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Mirandela deteve 20 caçadores por vários crimes em ato venatório.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG