Igreja

Padre de Viseu suspeito de enviar mensagens sexuais a menor

Padre de Viseu suspeito de enviar mensagens sexuais a menor

O Ministério Público está a investigar um padre da diocese de Viseu que terá enviado mensagens, algumas de teor sexual, a um jovem de 14 anos. O caso está em segredo de justiça.

Foi o pai do menor que comunicou as suspeitas às autoridades judiciárias após ter recebido queixas do filho, que achou que estava a ser assediado pelo sacerdote. Ao que apurou o JN, o jovem não é sequer da mesma paróquia e os dois nem se conhecerão.

O padre, sabe o JN, foi afastado de todas as funções na paróquia que liderava, mas também de outras instituições ligadas à Igreja Católica por decisão do Bispo de Viseu, D. António Luciano, pelo menos até tudo ser esclarecido.

A Comissão Diocesana de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis da Diocese, criada em 2020, já ouviu o pároco. Foram também inquiridos outros envolvidos. A comissão entendeu que existem algumas "irregularidades" e também pediu o afastamento do sacerdote. O caso já foi enviado para Roma.

O Ministério Público ainda não ouviu o suspeito, que para além da Comissão Diocesana de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis da Diocese de Viseu, prestou igualmente declarações à PJ. O seu telemóvel e o computador foram também "vasculhados" pelas duas entidades.

O pastor, entretanto, alegou motivos pessoais, mas também de saúde para abandonar funções na Igreja. Tirou uma licença sabática de um ano. No final de agosto, foi substituído por outros sacerdotes de todos os cargos que ocupava.

O JN tentou sem sucesso ouvir o padre em questão e o Bispo de Viseu.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG