Hacker

Pirata que atacou Altice e GNR detido pela PJ

Pirata que atacou Altice e GNR detido pela PJ

A Polícia Judiciária deteve um jovem, de 19 anos, que pirateou o sistema informático da empresa de telecomunicações Altice, de uma associação de árbitros e dos serviços sociais da GNR. Vai amanhã ser ouvido no Tribunal Central de Instrução Criminal.

O jovem já tinha sido identificado há cerca de 4 anos, quando foram detidos os elementos do grupo chamado "anonymous Portugal", mas tinha apenas 15 anos, não tendo sido detido. Hoje chamam-se "CyberTeam".

Desde há vários meses, que o pirata entrava em sistemas informáticos de museus, de bibliotecas, de uma associação de árbitros, da Federação Portuguesa de Natação e ainda diversas páginas da Internet com o domínio ".gov", pertencendo a entidades estatais. Mais recentemente, atacou a empresa de telecomunicações Altice, dona na marca Meo.

De acordo com a Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T) da Polícia Judiciária, também foi constituído como arguido um outro suspeito, de 23 anos, pela prática reiterada de crimes de acesso ilegítimo, falsidade, dano e sabotagem informática.

"Na sequência de participações de várias entidades, perante a reincidência de suspeitos e tendo em vista a cessação da atividade criminosa deste grupo, foram efetuadas buscas domiciliárias em quatro locais e procede-se à apreensão de diverso material informático que servia de suporte à prática ilícita", adianta a PJ.

Os ataques informáticos em escala, conhecidos por "Defacing" (alteração do visual de páginas Internet) e "DDoS" (ataque que sobrecarrega um servidor e impede o funcionamento normal) , eram dirigidos a entidades públicas e privadas, tinham origem num grupo criminoso de cidadãos portugueses e mostravam sinais de agravamento nos últimos dois meses.

"Além de comprometerem a integridade e a disponibilidade dos dados e da informação das entidades visadas, estes crimes informáticos afetam a paz social e a segurança no domínio do ciberespaço" precisa ainda a PJ

O detido vai esta quinta-feira ser interrogado no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, para serem aplicadas medidas de coação.