Cashball

PJ confirma pagamento de 30 mil euros do "Correio da Manhã" a denunciante

PJ confirma pagamento de 30 mil euros do "Correio da Manhã" a denunciante

O relatório da Polícia Judiciária (PJ) sobre a investigação de alegados subornos no andebol e no futebol a favor do Sporting, que ficou conhecido como o processo "Cashball", revela que um empresário fez um acordo para receber 30 mil euros do "Correio da Manhã" para para dar uma entrevista sobre o assunto, denunciando pessoas que terão sido entretanto excluídas de práticas criminosas pelas perícias judiciárias.

Segundo o jornal "Expresso", o empresário Paulo Silva fez um acordo com "jornalistas do Correio da Manhã" para receber uma quantia de 30 mil euros por parte do jornal para dar uma entrevista sobre o caso "Cashball", 20 mil para falar de alegados casos de corrupção no futebol e 10 mil no andebol.

De acordo com a notícia, apesar de ter sido notificado sobre o facto de o processo se encontrar em segredo de justiça, Paulo Silva concedeu uma entrevista ao jornal "Correio da Manhã" em que revelou todo o conteúdo do objeto da investigação.

Uma escuta telefónica entre o empresário e o advogado, Carlos Macanjo, deixa perceber que o valor não foi pago, com o defensor de Paulo Silva a dizer-lhe que deveria ter feito um acordo escrito com a Cofina, a empresa que detém o "Correio da Manhã", entre outros títulos.

Ao Expresso, o diretor daquela publicação, Otávio Ribeiro, considerou "uma loucura" o que é revelado do relatório da PJ. "Do orçamento do Correio da Manhã não saíram 30 mil, três mil ou sequer três cêntimos", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG