Lisboa

Polícia "luta pela vida" após ser agredido a pontapé, agressores estão em fuga

Polícia "luta pela vida" após ser agredido a pontapé, agressores estão em fuga

Jovem agente estava de folga, mas tentou, com a colaboração de três outros colegas, terminar com zaragata à porta de espaço de diversão noturna de Lisboa. Dez agressores fugiram e continuam a ser procurados pela PSP e pela PJ.

Um polícia está internado, em estado muito grave, no Hospital São José, em Lisboa, depois de, na madrugada deste sábado, ter sido violentamente agredido, à porta de uma discoteca da capital. O agente da PSP estava de folga e foi atacado quando, com outros três colegas polícias, tentava terminar com uma zaragata, junto à entrada do espaço de diversão noturna.

Segundo o JN apurou, o jovem polícia aproveitou a noite de folga para se divertir com os amigos numa discoteca situada na Avenida 24 de Julho e todos estavam já no exterior do espaço de diversão noturna quando se aperceberam de confrontos físicos envolvendo outros clientes e intervieram para tentar terminar com a zaragata. Essa intervenção levou, contudo, a que fossem os próprios polícias a serem agredidos.

PUB

Os autores da agressão ainda não foram identificados, mas o certo é que a violência do ataque causou graves ferimentos num dos agentes. Este teve de ser assistido pelo INEM ainda no local, antes de ser transportado para o Hospital São José. É nesta unidade hospitalar que está internado em estado considerado muito grave. Os restantes polícias sofreram ferimentos ligeiros.

Agredido a pontapé quando estava no chão

Ao final da manhã deste sábado, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP confirmou que os polícias agredidos "foram transportados ao hospital, estando um deles em estado crítico, a lutar pela vida". Em comunicado, a Polícia refere que as agressões "entre vários cidadãos" ocorreram, "pelas 6.30 horas, no exterior de um estabelecimento de diversão noturna" e que os quatro agentes "imediatamente intervieram, como era sua obrigação legal, para tentarem colocar termo às agressões em curso".

"De imediato, um dos grupos, com cerca de dez pessoas, atacou os polícias, agredindo-os violentamente", acrescenta a fonte oficial. A mesma que descreve que "um dos polícias foi empurrado e caiu ao chão, onde continuou a ser agredido com diversos pontapés, enquanto os restantes polícias continuavam também a defender-se das agressões".

PSP e PJ procuram agressores

Segundo o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, "os agressores colocaram-se em fuga, não tendo sido possível a sua identificação", mas estão a ser procurados não só pela própria PSP, como também pela Polícia Judiciária, entidade à qual foram comunicados "os atos praticados", por estes "poderem configurar a prática de crime de homicídio, na forma tentada". "Estão em curso todas as diligências, em coordenação com a Polícia Judiciária, para a identificação dos autores das agressões", lê-se no comunicado.

A PSP salienta, a propósito deste episódio violento, que "os polícias, apesar de não estarem em serviço, não deixaram de intervir, cumprindo com a sua condição policial, tentando manter a ordem pública a integridade física dos concidadãos".

Quer os polícias agredidos, quer a família do agente que luta pela vida no hospital estão a receber apoio psicológico através da Divisão de Psicologia da PSP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG