O Jogo ao Vivo

Violência doméstica

Polícia salva duas mulheres em risco: uma delas grávida

Polícia salva duas mulheres em risco: uma delas grávida

Esta semana, duas vítimas de violência doméstica em risco de vida foram salvas pelas autoridades policiais, em Lisboa e em Guimarães. Uma estava grávida e a outra ir ser atacada à catanada.

Em Penha de França, Lisboa, uma mulher dirigiu-se à PSP, pedindo que a acompanhassem a casa, por ter medo. Contou que, no dia anterior, ela e o marido "discutiram por ciúmes" e que ele a tentara manietar, ameaçando-a de morte com uma catana, antes de se ir embora prometendo que ia pegar fogo à casa.

Os agentes partiram à sua frente para a residência. Em boa hora. O homem estava escondido junto à porta e quando se viu descoberto gritou "insultos e ameaças à vítima". Na mochila que levava às costas tinha uma catana, um canivete, luvas de latex, um pano encharcado com acetona, embalagens de acetona, um rolo de fita adesiva, abraçadeiras e um passa-montanhas. A Polícia acredita que a senhora escapou do pior. Foi detido.

Grávida em pânico

Em Guimarães, na passada quinta-feira, foi a GNR a responder a um pedido de socorro de uma jovem grávida de 35 semanas. O agressor era o companheiro e pai da criança, o que não fez diminuir a recorrência e brutalidade dos ataques que duravam quase desde que iniciaram a relação (há três anos), como o comprovavam os cortes que a mulher apresentava. O agressor também foi preso.

De recordar que, esta sexta-feira, um homem de 45 anos tentou matar a ex-companheira a tiro de caçadeira por não aceitar o fim da relação, na Damaia, Amadora, e foi detido cinco minutos depois.

O caso ocorreu a pouca distância da Esquadra da Investigação Criminal da PSP. A mulher ficou em estado grave.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG