Linhó

Recluso à beira de ser libertado parte nariz a guarda

Recluso à beira de ser libertado parte nariz a guarda

Um guarda prisional foi agredido por um recluso, de 21 anos, que estava a menos de um mês de ser libertado. A agressão aconteceu na cadeia do Linhó, em Sintra, no final da última semana, e causou uma fratura do nariz à vítima. O Sindicato Nacional da Guarda Prisional (SNCGP) alerta para o facto de esta ter sido a 32.ª agressão a guardas prisionais no presente ano.

Segundo o JN apurou, tudo aconteceu quando o preso, a cumprir uma pena de quatro anos por furto, resistência e coação sobre funcionário e violência doméstica, recebeu a notificação de que seria libertado no dia 22 do próximo mês. Na ocasião, o jovem insultou um guarda, razão pela qual foi recolhido, no pátio do estabelecimento prisional, para ser levado à presença do chefe da Guarda Prisional.

Já perante o graduado de serviço, o recluso atacou um dos guardas prisionais com dois socos na cara. A vítima foi, de imediato, transportada para o Hospital de Cascais, onde lhe foi diagnosticada uma fratura do nariz.

PUB

"Esta é a 32.ª agressão este ano. Este número vem provar o que o SNCGP tem vindo a denunciar, nomeadamente a falta de condições e de segurança nas cadeias portuguesas", refere Frederico Morais. O dirigente sindical acrescenta que "estas agressões têm sido reportadas à Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais e ao Ministério da Justiça". Promete ainda que o SNCGP "irá até às últimas instâncias para defender os seus associados".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG