Investigação

Prisão preventiva para três suspeitos de tráfico detidos em Aljustrel

Prisão preventiva para três suspeitos de tráfico detidos em Aljustrel

Uma importante rede familiar de tráfico de estupefacientes foi desmantelada na passada segunda-feira, em Aljustrel, incluindo pai, filho, nora e um primo em segundo grau. Três ficaram em prisão preventiva, dois homens e a mulher. O "patriarca" ficou em liberdade.

Um Juiz de Instrução Criminal (JIC) do Tribunal de Ourique decretou, na tarde desta quarta-feira, a prisão de três suspeitos, com idades compreendidas entre os 22 e os 40 anos, todos naturais de Aljustrel e o mais velho a residir em Palmela, acusados do crime de tráfico de estupefacientes.

Um quarto elemento, de 47 anos, também residente em Aljustrel, ficou em liberdade mediante apresentações periódicas às autoridades e proibição de contactos com os outros arguidos e com consumidores de droga.

PUB

Na operação foi ainda identificado um quinto indivíduo por posse de produtos estupefacientes, tendo sido elaborado um auto de contraordenação pela posse dos mesmos, tendo sido notificado para comparecer na Comissão para a Dissuasão da Toxicodependência.

O grupo que se dedicava à venda de produtos estupefacientes nos concelhos de Aljustrel, Castro Verde e Palmela há muito que era investigado pelos militares do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Aljustrel da GNR e o elo familiar entre os suspeitos levou a um trabalho minucioso dos investigadores para atuar no "momento certo".

Na operação foi dado cumprimento a 12 mandados de busca - três domiciliárias, seis em viaturas e três em estabelecimentos - nos três concelhos onde os suspeitos residiam e vendiam a droga.

Aos quatro envolvidos foram apreendidas 250 doses de haxixe e 20 de cocaína, 22 pastilhas de ecstasy, 198 comprimidos utilizados como produto de corte, 15 saquetas de nicotina e três garrafas de óxido nitroso. Utilizados no desenvolvimento da atividade criminosa, foram levados pelos militares da Guarda sete telemóveis, cinco balanças de precisão, um petardo, uma tesura e seis facas. As autoridades apreenderam ainda 3675 euros em numerário, 40 libras em numerário, 17 anéis de ouro e dois de prata, seis viaturas e uma moto de água, que consideram como resultante da venda dos estupefacientes.

Dada a perigosidade da operação, para além dos militares do Comando Territorial de Beja houve reforços dos comandos de Setúbal, Évora e da Unidade de Intervenção.

Depois de decretada a prisão preventiva, os dois homens foram levados para o Estabelecimento Prisional de Beja e a mulher para o de Odemira, onde vão aguardar julgamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG