O Jogo ao Vivo

Hospital São Francisco Xavier

PSP deteve agressoras de médica, juiz aplica medidas não privativas da liberdade

PSP deteve agressoras de médica, juiz aplica medidas não privativas da liberdade

A PSP deteve hoje duas utentes do Hospital de São Francisco Xavier que, no mês passado, agrediram uma médica na urgência daquela unidade hospitalar de Lisboa, disse à agência Lusa fonte do Comando Metropolitano da PSP.

Segundo adiantou a mesma fonte, as duas agressoras foram já presentes a um juiz de instrução criminal, que lhes aplicou medidas de coação não privativas da liberdade, designadamente apresentações mensais na esquadra da residência, proibição de contactos com a vítima e proibição de frequentar o Hospital de São Francisco Xavier, com exceção de necessidade de algum ato médico.

Dados recolhidos pela PSP indicam que as agressoras têm 38 e 18 anos de idade.

PUB

Em 27 de setembro, o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) denunciou a agressão a uma médica na urgência do Hospital de São Francisco Xavier.

A obstetra, que cumpria uma prestação de serviços na urgência do hospital, foi agredida e ficou de baixa no dia seguinte por não estar em condições de ir trabalhar, conforme referiu o SIM, que se solidarizou com a médica e a quem disponibilizou apoio jurídico.

Em março, a PSP anunciou que registou 961 situações de violência em hospitais e centros de saúde em 2021, mais 16% do que em 2020.

A PSP indicou também que cerca de 65% da violência registada é praticada por utentes, 21% pelos familiares ou acompanhantes dos doentes, 13% por profissionais de saúde e 1% por visitantes ou outras pessoas.

A comarca de Lisboa registou 23 inquéritos crimes contra profissionais de saúde em 2021, um crime que o Mistério Público tinha alertado em 2020 para a tendência acentuada de aumento.

Os profissionais da saúde que notificam mais casos de violência são os enfermeiros e os médicos e a maioria das situações são de violência verbal e física.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG