Processo

Realização de julgamento de Ana Gomes "já por si é uma vitória", diz Isabel dos Santos

Realização de julgamento de Ana Gomes "já por si é uma vitória", diz Isabel dos Santos

A empresária Isabel dos Santos afirmou, na terça-feira, que a realização do julgamento do processo que interpôs contra a ex-eurodeputada Ana Gomes "já por si é uma vitória" e que pretende "limpar" em tribunal o seu nome de "sucessivas calúnias".

Numa declaração à agência Lusa, a propósito do julgamento que arrancou hoje, em Sintra, do processo cível que a empresária moveu após ter sido acusada por Ana Gomes de estar a usar Portugal para "lavar" dinheiro, Isabel dos Santos queixou-se que a agora ex-eurodeputada "tem vindo, há vários anos, a fazer uma campanha politicamente motivada, negativa e falsa" contra si.

"Durante muito tempo, na qualidade de eurodeputada, gozou de imunidade pelo que anteriormente não foi possível tomar nenhuma atitude em relação às falsas acusações e mentiras por ela proferidas. Ao deixar de ser eurodeputada, surgiu pela primeira vez a possibilidade de ir à Justiça reclamar pelo meu bom nome", afirmou.

Assegurou que "independentemente do resultado" deste processo, "é já uma grande vitória termos acesso à Justiça e o tribunal ter aceitado julgar este caso, reconhecendo que há matéria para julgamento".

"O julgamento que hoje teve início é um contributo para repor a verdade e responder às sucessivas calúnias que Ana Gomes tem feito sobre mim", afirmou ainda a empresária angolana e filha do ex-presidente de Angola José Eduardo dos Santos, voltando a criticar a ex-eurodeputada socialista.

"Apesar dos cargos políticos e diplomáticos que já exerceu, Ana Gomes insiste em fazer comentários falsos e lamentáveis que atingem não só o meu bom nome mas também as nossas empresas, e afeta os trabalhadores destas empresas e as suas famílias. Trata-se de uma clara tentativa de hostilizar gratuitamente todo o meu percurso profissional e pessoal", enfatizou Isabel dos Santos.

Recordando que "em casos de ação especial da tutela de personalidade ou nos casos de queixa por difamação, muitas vezes é difícil que o tribunal aceite a queixa e muitos dossiês acabam em arquivamento", o facto de o tribunal "ter aceite este julgamento já por si é uma vitória".

A ex-eurodeputada Ana Gomes começou hoje a responder no Juízo Local Cível de Sintra à queixa cível de Isabel dos Santos por causa de acusações feitas à empresária angolana de estar a usar Portugal para "lavar" dinheiro. Neste processo, a empresária angolana queixa-se que as acusações "provocaram um imediato, sem retorno e incontrolável dano à imagem, honra e [ao seu] bom nome", tendo um "impacto material nos negócios" em que é acionista.

Ana Gomes diz que Isabel dos Santos e outros "cleptocratas angolanos" lavam dinheiro na banca

Hoje, em tribunal, Ana Gomes afirmou que a empresária Isabel dos Santos e "outros cleptocratas angolanos" utilizam a banca portuguesa para "branquear" fundos desviados de Angola, em prejuízo do povo angolano e reiterou as suas afirmações e o conteúdo das publicações na rede Twitter, apontando as diversas participações que pessoalmente fez às instâncias judiciárias e financeiras europeias e de Portugal no sentido de investigarem os negócios e a origem do dinheiro investido por Isabel dos Santos em negócios em Portugal, nomeadamente através do Eurobic e de outras empresas sediadas em paraísos fiscais ou na zona franca da Madeira.

Em causa está uma publicação da ex-eurodeputada no dia 14 de outubro, reagindo a uma entrevista da empresária angolana à agência Lusa: "Isabel dos Santos endivida-se muito porque, ao liquidar as dívidas, 'lava' que se farta! E (...) o Banco de Portugal não quer ver...".

Numa entrevista, nesse mesmo dia, Isabel dos Santos disse à Lusa que trabalha com vários bancos e que não foi favorecida por ser filha do ex-presidente de Angola José Eduardo dos Santos.

"Tenho muitas dívidas, tenho muito financiamento por pagar, as taxas de juros são elevadas, nem sempre é fácil também ter essa sustentabilidade do negócio, para conseguir enfrentar toda a parte financeira dos negócios, mas também boas equipas e trabalhamos para isso", afirmou a empresária, na entrevista feita em Cabo Verde.

Após o primeiro 'post', Ana Gomes acusou a empresária de usar o EuroBic (banco de que é acionista) para legalizar o seu dinheiro: "Que jeito dá à (...) acionista Isabel dos Santos o @banco_eurobic! Está na rede swift e na Zona Euro".

No dia 31 de outubro, o EuroBic anunciou também que iria mover uma ação contra a ex-eurodeputada, que tem acusado figuras ligadas ao regime angolano de usarem Portugal para legalizarem o dinheiro desviado de Angola, particularmente durante a gestão de José Eduardo dos Santos.

Em comunicado enviado às redações, a instituição presidida pelo antigo ministro das Finanças Fernando Teixeira dos Santos afirma que as "afirmações e insinuações" de Ana Gomes são "falsas" e que, por lesarem o "bom-nome e a reputação do EuroBic, o banco decidiu avançar com os procedimentos judiciais adequados com vista à salvaguarda dos seus direitos".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG