O Jogo ao Vivo

Porto

"Rei dos catalisadores" foi novamente libertado pelo tribunal

"Rei dos catalisadores" foi novamente libertado pelo tribunal

Vítor Macedo foi detido ao volante de um carro furtado e, na tarde desta terça-feira, saiu do primeiro interrogatório judicial sujeito apenas a termo de identidade e residência.

O ladrão conhecido por "rei dos catalisadores" foi novamente libertado, depois de ter sido detido na tarde desta segunda-feira. Vítor Macedo, de 30 anos, ficou, uma vez mais, sujeito a termo de identidade e residência após ter passado, ao início da tarde desta terça-feira, pelo Tribunal de Instrução Criminal do Porto. Recorde-se que o "rei dos catalisadores" está envolvido em 140 processos judiciais relacionados com furtos e, só desde maio, foi detido seis vezes. Foi, como agora, sempre libertado. A mesma medida de coação foi aplicada ao comparsa que o acompanhava no automóvel furtado, que transportava várias ferramentas usadas no roubo de catalisadores.

Vítor Macedo foi visto, pelas 15 horas da última segunda-feira, por polícias da Brigada de Fiscalização Policial da 2ª Divisão da PSP do Porto ao volante de um automóvel. No lugar do pendura seguia um operário da construção civil, de 45 anos e residente em Vila Nova de Famalicão, e ambos foram mandados parar pela PSP.

PUB

Os agentes perceberam, então, que o carro conduzido pelo "rei dos catalisadores" tinha sido furtado e avançaram para a detenção dos dois suspeitos. Também apreenderam cinco bidões vazios e mangueiras, material que seria usado para furtar combustível, assim como uma rebarbadora e um elevador automóvel hidráulico utilizados para furtar catalisadores. Aliás, a PSP também apreendeu, na mesma ocasião, um catalisador acabado de roubar e três chaves de automóveis. Tudo estava no interior do automóvel.

Saíram em liberdade

Os dois detidos passaram a noite nos calabouços da PSP e, ao início da tarde desta terça-feira, foram levados ao Tribunal de Instrução Criminal do Porto. Pouco depois, os dois arguidos abandonaram as instalações judiciais em liberdade e apenas sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência.

Vítor Macedo está ligado a 140 processos judiciais relacionados com furtos e o seu comparsa está indiciado noutras 40 investigações semelhantes. O "rei dos catalisadores", tal como o JN tem dado conta, foi detido seis vezes desde maio. A primeira detenção aconteceu a 25 de maio, após ter provocado um acidente quando circulava em marcha-atrás na VCI, no Porto, para fugir à PSP.

Nesse dia, foi detetado a furtar um catalisador, em flagrante delito, por elementos da Esquadra de Investigação Criminal da PSP do Porto, na zona do Pinheiro Manso. Com ele, estava a namorada, suspeita de ser cúmplice nos crimes e quando Vítor Macedo se apercebeu da presença de agentes fugiu num veículo também furtado.

Tinha já percorrido cerca de sete quilómetros a alta velocidade e chegado à VCI quando, na zona de Bessa Leite, decidiu conduzir em marcha-atrás para tentar escapar à perseguição da Polícia. Ainda conseguiu fazer cerca de 500 metros até provocar um acidente. Foi apanhado e levado a tribunal, que lhe decretou a medida de coação de apresentações diárias às autoridades.

Nunca cumpriu esta obrigação e voltou a ser detido no mesmo dia ao abrigo de um mandado de detenção para ser interrogado no âmbito de um processo de furto, no Tribunal de Gondomar. Foi novamente libertado, após se ter recusado a prestar declarações.

No dia 4 de junho, voltou a ser preso. Desta feita, estava no Bairro do Cerco, no interior de uma viatura furtada momentos antes, onde estavam diversas ferramentas e um catalisador roubado. De novo levado a tribunal, foi outra vez libertado.

A 16 de junho, escapou às autoridades. Foi perseguido 19 quilómetros entre o centro do Porto, onde foi detetado em flagrante em mais um roubo, e São Félix da Marinha, em Gaia. A operação, que terminou num caminho florestal, permitiu a detenção de um alegado cúmplice. Trata-se de outro rei ("king" em inglês), que chegou a ser estrela num programa da SIC, o "Factor X". Daduh King, nome artístico de Dário Ferreira, foi apanhado pela PSP no término da perseguição, enquanto o "rei dos catalisadores" conseguiu fugir pelo mato.

A mais recente detenção foi consumada no final de junho. Foi detetado ao volante de um Toyota Carina furtado, na zona da Granja, em Gaia. Apesar de Vítor Macedo ter tentado fugir, os militares de Arcozelo conseguiram capturá-lo e levaram-no para o posto da GNR. Foi levado ao Tribunal de Vila Nova de Gaia, onde o Ministério Público ordenou a sua libertação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG