Exclusivo

Seis anos de cadeia por vender droga em sites gay

Seis anos de cadeia por vender droga em sites gay

Tribunal do Porto deu como provada acusação de tráfico. Aplicações de encontros também exibiam cardápio com grande oferta de estupefacientes.

Acusados de vender droga através de aplicações de encontros gay e de usarem cartões roubados a clientes para fazerem compras de bens e serviços, dois amantes foram ontem condenados, um a seis anos e dois meses de prisão efetiva e o mais jovem a três anos, com pena suspensa. Reverteram para o Estado os 30 mil euros apreendidos ao casal, que estava acusado de trafico de droga, burlas informáticas, acesso ilegítimo a contas bancárias e falsificação de documentos,

O tribunal S. João Novo deu ontem como provada a totalidade dos crimes. A talhada maior coube a José Maria, um prostituto de 36 anos, a trabalhar no Porto, onde residia com o jovem Ubiratan, de 23 anos, que negou sempre os crimes. Recorde-se que a Polícia Judiciária, que os deteve, encontrou 30 mil euros em notas na casa que partilhavam. José Maria, em tribunal, empurrou para o amante a parte negra da acusação, a muita droga, as balanças e registos da utilização de cartões bancários roubados a clientes. Dele só eram os 25 mil euros escondidos numa caixa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG