Exclusivo

Supremo liberta vítima de violência doméstica que tentou matar marido

Supremo liberta vítima de violência doméstica que tentou matar marido

Foi maltratada 40 anos e quis defender filhos de ameaça e morte. Suspensa pena de cinco anos e nove meses.

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) reduziu e suspendeu a pena de uma mulher de 67 anos condenada por tentativa de homicídio após atacar o marido à machadada para defender a própria vida e a dos filhos. O Tribunal de Portimão tinha-a condenado a cinco anos e nove meses de prisão. A defesa recorreu. O STJ baixou a pena para cinco anos e ordenou a sua libertação. A mulher estava presa desde 28 de agosto de 2019, mas há décadas que vivia sem liberdade.

Desde que casou, aos 20 anos, que passou a viver sob o jugo do marido. Foram mais de quatro décadas de ordens, insultos, ameaças e agressões. Era maltratada em casa e em público. Os filhos e os vizinhos sabiam, mas nunca ninguém se atreveu a denunciar ou confrontar o agressor. Durante anos, ela desculpou-o: era muito ciumento e tinha traumas de guerra. Até que, num sábado de agosto, atingiu o ponto de rutura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG