Mouraria

Traficantes abriram nova "banca" de droga horas após rusga

Traficantes abriram nova "banca" de droga horas após rusga

A PSP deteve dez homens e três mulheres, com idades entre os 23 e os 76 anos, por suspeita de tráfico de estupefacientes em Lisboa. A ação, que decorreu a 22 e 23 de novembro, permitiu apreender quase 10 mil doses de haxixe, cocaína e heroína.

O grupo operava de modo organizado e estruturado no Bairro da Mouraria, em Lisboa. Após uma investigação de cerca de seis meses, os polícias da Divisão de Investigação Criminal conseguiram recolher informações sobre o modo de funcionamento e o papel de cada elemento na organização que vendia cocaína, heroína e haxixe.

O líder do grupo dispunha de um anexo da sua residência e de outra casa de recuo para escoar o produto estupefaciente. E residia numa casa fortificada e protegida contra intervenções policiais. Cada um dos membros da organização tinha uma tarefa bem definida: vigia, vendedor ou líder.

PUB

Abriram nova banca de droga em menos de um dia

A PSP explica que os detidos atuavam"com grande astúcia, sob rigor, disciplina tática e técnica" no interior do Bairro da Mouraria, um local que "dispõe de características geográficas e socialmente enraizadas que potencia ressurgimentos contínuos da venda de droga", apesar dos contínuos esforços policiais e judiciais. Aliás, após a ação de 22 de novembro, em bem menos de 24 horas, os suspeitos já tinham aberto uma nova banca de droga, num local muito próximo da anterior. Mal retomaram a ação, foram surpreendidos pelos polícias.

Após o cumprimento de oito mandados de busca, foram detidos, em flagrante delito, treze suspeitos e apreendidas 3669,2 doses individuais de cocaína; 4285,2 doses de heroína; 2078,58 doses individuais de haxixe; 3,4 doses individuais de liamba; 7652.08 euros; 10 armas proibidas e vários artigos relacionados com o tráfico de droga.

Os detidos, já com "inequívoca e ampla pegada criminal no âmbito do tráfico de droga" foram presentes a primeiro interrogatório judicial. Dois ficaram em prisão preventiva, dois com termo de identidade e residência e os restantes com apresentações periódicas às autoridades.

72 detidos na Mouraria em 2021

Em comunicado, a PSP de Lisboa realça várias intervenções recentes realizadas naquela zona, apenas no âmbito da investigação criminal, que culminaram em pesadas penas de prisão por tráfico. Só em 2021, no Bairro da Mouraria, foram detidas 72 pessoas, 14 das quais ficaram em prisão preventiva. Este ano, ainda apenas do ponto de vista da investigação, foram detidas 37 pessoas, tendo seis ficado em prisão preventiva, uma em domiciliária e outra em prisão efetiva para cumprimento de pena.

Após ações em maio e junho de 2021, nove arguidos foram condenados a penas de prisão efetivas superiores a quatro anos e dois a penas efetivas inferiores a quatro anos por tráfico de droga. Outra ação, em julho de 2020, neutralizou uma célula desta rede que operava a partir de uma habitação próxima da agora neutralizada e culminou em condenações superiores a cinco anos.

Em 2019 também numa ação de investigação criminal mais consolidada, treze arguidos viram-se condenados por tráfico na Mouraria todos eles acima dos 5 anos em média de prisão que cumprem à data.

A PSP refere que "este trabalho resulta de uma abordagem multidisciplinar de várias valências da PSP" e que com estas ações é possível aumentar o sentimento e níveis de segurança associados aquela zona. "A PSP continuará atenta aos que insistirem na atividade criminal na zona da Mouraria e em todas as outras sob a sua jurisdição", avisa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG