Negócio

Vende-se contrafação em direto no Facebook

Vende-se contrafação em direto no Facebook

Negociantes não escondem a cara e anunciam comercialização com novas ferramentas das redes sociais. ASAE aposta na investigação para travar o fenómeno.

Vendem em direto e ao vivo na rede social Facebook, onde promovem produtos contrafeitos. Sem esconder a cara nem a cidade onde vivem, mostram sapatilhas, roupa, perfumes ou carteiras de marcas que custam habitualmente 500 euros e que comercializam por 15. Mas a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) tem estado atenta ao novo fenómeno e só nos primeiros dez meses deste ano já abriu 80 inquéritos-crime contra a venda de bens contrafeitos na Internet. Desde 2015 até meados deste ano, só a ASAE apreendeu 14,5 milhões de euros em bens falsificados, tanto nas feiras como na Internet.

Leia mais na edição impressa ou versão e-paper.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG