Corrupção

Vereador acusado de receber 10 mil euros para dar emprego na Câmara de Barcelos

Vereador acusado de receber 10 mil euros para dar emprego na Câmara de Barcelos

Domingos Pereira está acusado pelo Ministério Público (MP) de ter, alegadamente, recebido 10 mil euros para arranjar um emprego na Câmara de Barcelos. Vereador nega acusação.

O vereador terá recebido essa quantia de uma mulher, também constituída arguida, para empregar o filho na autarquia barcelense.

Ao JN, Domingos Pereira afirmou que "é absolutamente falso" e nega "terminantemente o que diz a acusação". Afirmando estar de "consciência tranquilíssima", o vereador diz que "isso vai ser respondido em tribunal".

Na acusação, o MP diz que o ex-vice-presidente da Câmara, que era "vereador em regime de não permanência'', uma vez que também era deputado na Assembleia da República, tinha a seu cargo "a gestão e direção dos recursos humanos afetos aos serviços municipais".

Domingos Pereira terá recebido, no dia 25 de janeiro de 2016, a arguida no seu gabinete, e esta terá dito que "queria que o seu filho, que estava em funções no município no âmbito de um contrato de emprego-inserção+ ficasse, findo tal contrato, ao serviço do município, entregando-lhe, no interior de um envelope, 10 mil euros em notas, como compensação pelas suas diligências nesse sentido".

Em nota publicada no site da Procuradoria-Geral Distrital do Porto, pode ler-se que "o arguido, com aquele propósito, aceitou a referida quantia e fê-la sua, acabando, no entanto, por não se concretizar a contratação do filho da arguida pela Câmara Municipal de Barcelos, porque o presidente da referida autarquia, por despacho de 06.05.2016, redistribuiu os pelouros e retirou ao arguido as competências que lhe estavam atribuídas".

O Ministério Público quer, ainda, que 10 mil euros apreendidos à ordem do processo, "sejam declarados perdidos a favor do Estado, por corresponderem à vantagem da atividade criminosa desenvolvida pelos arguidos".

PUB

Recorde-se que, noutro caso, Domingos Pereira vai a julgamento pela alegada utilização abusiva de viaturas do município de Barcelos em deslocações entre esta cidade e a Assembleia da República.

De líder do PS a independente

Domingos Pereira foi vice-presidente da Câmara de Barcelos de 2009 até 2016, altura em que o presidente, Miguel Costa Gomes, lhe retirou a confiança política e, consequentemente, os pelouros que detinha.

Em 2017, o vereador, que já se havia desvinculado do PS, criou o movimento independente Barcelos, Terra de Futuro, conquistando dois lugares de vereação.

Recentemente, aliou-se a PSD e CDS na coligação Barcelos Mais Futuro, com o intuito de derrotar os socialistas nas próximas autárquicas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG