05.07.2022

Trás-os-Montes

Tempestade de granizo em julho traz o inferno frio aos agricultores

Tempestade de granizo em julho traz o inferno frio aos agricultores

A tempestade que se abateu ao fim da tarde desta terça-feira na região de Trás-os-Montes provocou estragos em campos agrícolas de milho e batata e poderá ter afetado a produção de castanha na freguesia de Campeã, em Vila Real. O mau tempo cruzou todo o distrito, havendo registo de queda de granizo também nos concelhos de Chaves e de Vila Pouca de Aguiar.

Jorge Maio, presidente da Junta da Campeã e da Associação de Agricultores do Concelho de Vila Real, descreveu à agência Lusa cerca de 30 minutos de uma intensa queda de granizo e de chuva forte que afetaram os campos agrícolas deste vale. "Tudo que é batata e milho ficou destruído", referiu, salientado que, na freguesia, ainda há pessoas que vivem só da agricultura e outras que cultivam para consumo próprio.

O autarca acredita que "cerca de 90%" da produção agrícola no território ficou destruída, advertindo, no entanto, que se está a proceder a um levantamento dos prejuízos. Salientou ainda que, nesta altura, os castanheiros estão na fase de floração, pelo que se prevê também que a produção deste ano fique afetada.

"A trovoada começou a vir muito forte, veio um granizo muito grande e o vento e atirou com tudo ao chão. O milho está todo esfarrapado, as batatas estão todas deitadas, o cebolo está todo partido. Enfim, uma miséria. Anda a gente a trabalhar para nada", lamentou o agricultor José Coelho, de Vila Nova, na zona da Campeã.

O mau tempo provocou ainda a queda de ramos de algumas árvores e o arrastamento de muito lixo para as estradas, estando-se a proceder à desobstrução das vias. Duas casas que estavam já em ruínas ficaram em "risco de queda", acrescentou o autarca.

Além do distrito de Vila Real, muito consumido pelo mau tempo, Bragança, Viseu e Guarda estiveram hoje, entre as 14 e as 21 horas., sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros por vezes fortes de granizo e acompanhados de trovoada e rajadas de vento forte, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG