Aveiro

Sete dos dez casos confirmados de Covid-19 em Ovar são profissionais de saúde

Sete dos dez casos confirmados de Covid-19 em Ovar são profissionais de saúde

Ovar já conta uma dezena de casos confirmados de infeção por Covid-19, sete dos quais são profissionais de saúde que trabalham na USF S. João de Ovar, que já tinha sido encerrada esta sexta-feira.

A Câmara Municipal fechou todos os serviços municipais, incluindo o Mercado, e o autarca Salvador Malheiro fez um apelo nas redes sociais: "A situação está muito complicada em Ovar. Por favor cancelem o que puderem e tentem ficar em casa".

"Até ontem tínhamos dois casos confirmados, uma jovem de 17 anos e a mãe. Entretanto, foi confirmado um caso na USF S. João de Ovar e foram feitos testes a todos os médicos, enfermeiros e profissionais de saúde", esclarece o presidente da Câmara, Salvador Malheiro, que adianta que "sete deram positivo". "Não são sete quaisquer, são profissionais de saúde, que contactaram com imensa gente nos dias anteriores", diz.

Neste momento, ao todo, são dez os casos de infeção conhecidos no concelho, incluindo, segundo Malheiro, o treinador de futebol do Arada Atlético Clube, que esteve em contacto com o irmão da jovem de 17 anos, o primeiro caso confirmado em Ovar e que foi tornado público na quarta-feira. "Nem todas as pessoas infetadas são de Ovar, mas mediante o cenário, decidi tomar medidas drásticas", diz.

Em comunicado a Câmara esclarece que "em articulação com a Autoridade Local de Saúde Pública /ACES Baixo Vouga decidiu atualizar o seu Plano de Contingência, nomeadamente com o encerramento de todos os serviços municipais, incluindo o Mercado Municipal, tendo-se definido um conjunto de serviços mínimos presenciais e em teletrabalho".

A Autarquia deixa um apelo "a toda a comunidade vareira para reduzir ao mínimo toda a atividade comercial, industrial e de lazer no Município, recomendando que as pessoas se mantenham em casa sempre que possível, reduzindo o contacto social e cumprindo escrupulosamente as regras de higienização".

Encerrada já estava também a Unidade de Saúde Familiar de S. Vicente Pereira, onde tinha estado a primeira jovem infetada, que frequenta a Escola Secundária da Feira. Também a fábrica Yazaki Saltano onde trabalham os seus pais pôs alguns colaboradores em isolamento social por precaução e a Escola EB1 do Outeiral, em Arada, frequentada pelo irmão da aluna, fechou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG