Tradição

Roubalheira Nicolina põe vaca no centro de Guimarães

Roubalheira Nicolina põe vaca no centro de Guimarães

O número mais imprevisto da Festas Nicolinas aconteceu na noite passada. Além dos objetos habitualmente furtados pelos estudantes, este ano, pela manhã, havia também uma vaca no largo do Toural.

Balizas, bancos de suplentes, motas, carrinhos de compras, sinais de trânsito, um cilindro ou uma vaca, os proprietários destes artigos vão ter que os recuperar ao longo do dia, no centro da cidade, depois de terem sido "vítimas" da roubalheira nicolina, durante a noite.

A roubalheira resulta da adaptação ao meio urbano de uma antiga tradição das aldeias minhotas para as festas dos estudantes do ensino secundário de Guimarães (as Nicolinas). A prática era habitual por altura das festas dos Santos Populares, especialmente durante os festejos a S. Pedro, também conhecido em terras próximas da cidade de Guimarães como o dia dos atrancamentos.

Pelo incómodo que causa a alguns é, provavelmente, o menos amado dos números nicolinos. A tradição chegou mesmo a ser interrompida, entre 1971 e 1997, mas voltou a realizar-se a partir de 1998.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG