Macedo de Cavaleiros

Praias do Azibo sem limite de lotação e areal mais extenso

Praias do Azibo sem limite de lotação e areal mais extenso

A época balnear arranca na quinta-feira nas praias fluviais do Azibo, sem as restrições da pandemia e com mais oferta e areal para receber os milhares de veraneantes que procuram este espaço de Macedo de Cavaleiros.

No centro do Nordeste Transmontano, o Azibo tornou-se no principal local de veraneio do distrito de Bragança, com duas praias fluviais, a da Ribeira e da Fraga da Pegada, a ostentarem mais um ano bandeira azul e acessíveis a pessoas com pouca mobilidade.

O local é procurado inclusivamente por turistas do litoral, que trocam o mar pela Paisagem Protegida do Azibo, onde nos últimos dois anos, devido às restrições da pandemia de covid-19, houve pessoas que não conseguiram aceder ao local, inclusive autocarros de excursões.

PUB

Este ano, não há condicionantes à lotação, como disse hoje à Lusa o presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros, Benjamim Rodrigues, embora se mantenham as preocupações de segurança, asseguradas com o alargamento dos espaços.

"A alteração maior é o alargamento do espaço de areal. Só por aí temos logo uma capacidade maior para espaçar as pessoas, para não estarem tão em cima uma das outras", assegurou.

O autarca exemplificou que só na praia da Ribeira, a primeira para quem chega ao Azibo, o areal foi aumentando "em cerca de 30%".

O Azibo regista também um aumento de operadores turísticos, com mais espaços de esplanadas, duas novas concretamente, a juntar a outras diversões existentes como campos de jogos, ou passeio de barco, a pé ou de bicicleta em percursos sinalizados.

As duas praias fluviais têm nadadores-salvadores e vigilância permanente, a partir de quinta-feira e até 11 de setembro, assim como equipas de manutenção, e foi na contratação destas últimas que o município encontrou algumas contingências.

"Imaginemos que se trabalhávamos com 21 pessoas, este ano, provavelmente, vamos ter que trabalhar com menos uma ou duas pessoas, quando nós precisávamos era de aumentar, mas de facto não temos gente disponível", apontou o autarca.

Apesar de deixar de existir condicionamento à entrada de pessoas, o Azibo mantém limitações ao acesso de viaturas, devido à sobrecarga do trânsito automóvel, numa zona que, além de turística, é também um espaço de conservação da natureza.

O presidente da Câmara acredita que neste verão a afluência às praias dos Azibo vai continuar a aumentar.

"As pessoas estão ávidas de se libertarem e, apesar de tudo, a pandemia já se tornou um sítio comum e as pessoas lidam de uma forma diferente. Continua a haver cuidados, é certo, mas eu acredito que este ano vamos ter mais afluência", afirmou Benjamim Rodrigues.

A situação de exceção causada pela pandemia levou a que no último ano o município não fizesse a habitual monitorização do acesso, que irá ser retomada neste verão através de drone, com a contagem das viaturas parqueadas.

"A última vez que foi monitorizado tínhamos "entre 320 e 340 mil visitantes", salientou.

Aqueles que escolherem este destino continuarão a ter informação disponível na App Info-Praias sobre as condições no local, segundo ainda o município.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG