O Jogo ao Vivo

Miranda do Douro

EDP recupera património do Moderno Escondido de Picote

EDP recupera património do Moderno Escondido de Picote

A EDP - Produção vai recuperar um conjunto arquitetónico conhecido como Moderno Escondido na freguesia de Picote, no concelho de Miranda do Douro.

No final da recuperação da quase totalidade do património arquitetónico conhecido por moderno escondido de Picote, a requalificação pode custar à EDP - Produção um total de 36 milhões de euros, um valor adiantado no Facebook da câmara de Miranda do Douro, mas que a empresa não comenta. Depois da recuperação da Pousada e da capela, já concluídas, vai avançar ainda este ano a terceira fase do projeto que passa pela recuperação das cinco habitações do conjunto arquitetónico conhecido como "casas dos engenheiros" localizadas em Barrocal do Douro na freguesia de Picote, no concelho de Miranda do Douro.

O presidente da Câmara Municipal de Miranda do Douro já manifestou o seu agrado face ao anúncio deste novo investimento há muito reivindicado pelo município. "É uma necessidade e há muito que o vinha dizendo. A recuperação deste conjunto vai de encontro às nossas expectativas", explicou Artur Nunes.

As obras de recuperação poderão avançar ainda este ano nas antigas casas dos engenheiros, uma série de moradias, construídas para alojar os engenheiros durante a construção das barragens do Douro Internacional, mas que foram abandonadas e agora estão muito degradas.

Esse núcleo urbano de Barrocal do Douro é um dos mais representativos exemplares do Moderno Escondido em Portugal.

A segunda fase do plano de requalificação envolveu o restauro da Capela, outro dos imóveis classificados neste património. Os trabalhos, iniciados em outubro de 2020 e que acabaram de ser concluídos, foram fundamentais para preservar as linhas originais daquele espaço religioso, bem como peças de autor - é o caso do crucifixo "O Cristo Magrinho", totalmente esculpido em madeira por Salvador Barata Feyo, um dos nomes mais marcantes da segunda geração de escultores modernistas portugueses. A capela continua assim a ser utilizada regularmente pela comunidade local para celebração de missas.

Concluídas estas duas fases, a EDP dá agora início a uma nova etapa na requalificação do "Moderno Escondido", através dos trabalhos de recuperação das conhecidas Casas dos Engenheiros. Estas cinco moradias, construídas num conceito aberto e em plena montanha, integram o complexo construído em Barrocal do Douro, entre os anos 50 e 60, para alojar os trabalhadores envolvidos na construção das barragens de Picote, Miranda e Bemposta e, posteriormente, os que ficaram para garantir a sua operação. Por se tratar de um património de interesse público, este projeto envolve uma exigente lista de critérios de reabilitação e será certificado pela Direção Regional Cultura Norte (DCRN).

PUB

A futura utilização destes espaços será alvo de uma avaliação em parceria com as várias entidades locais de forma a que possam contribuir para uma maior valorização e atratividade da zona e beneficiar as populações locais. Com esta iniciativa, a EDP mantém o seu compromisso com a região e com a comunidade no sentido de dar uma nova vida a um património histórico no Douro

Está também prevista a realização de uma exposição sobre o Moderno Escondido na Arquitetura Portuguesa em Miranda do Douro em 2022.

A EDP não comenta o valor a investir "porque ainda não está fechado", adiantou uma fonte da empresa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG