figueira da foz

Junta quer casa que hospedou Wellington 

Junta quer casa que hospedou Wellington 

A Junta de Freguesia de Lavos, Figueira da Foz, quer adquirir a casa particular onde ficou hospedado o general Arthur Wellesley, Duque de Wellington, aquando da Guerra Peninsular. A intenção é criar ali um museu.

Isabel Oliveira, autarca de Lavos, tem um sonho: adquirir a casa onde, em 1808, Artur Wellesley montou o seu quartel general na luta contra Napoleão Bonaparte. "O meu sonho é que essa casa particular fosse adquirida pela Junta e transformada num museu alusivo a estes acontecimentos históricos", disse Isabel Oliveira, ontem, durante a apresentação do programa comemorativo do bicentenário da Guerra Peninsular, que vai decorrer de 3 a 9 de Agosto naquela freguesia a Sul do concelho.

A casa particular pertencia na altura ao pároco António Macedo Pereira da Horta. Foi lá que, em Agosto de 1808, o general estabeleceu o seu primeiro quartel general em Portugal, após o desembarque de dez mil soldados do corpo expedicionário inglês na praia do Cabedelo (hoje freguesia de S. Pedro).

Wellington ficou hospedado na casa onde lhe foi dada a comer - por causa da fraqueza que trazia - uma canja rica, que ficou celebrizada numa carta do general a um amigo. "A nossa intenção é que essa casa, depois de transformada em museu, entre nos roteiros turísticos nacionais e internacionais", revelou Isabel Oliveira, autarca do PSD.

O objectivo da Junta seria conseguir comprar a casa ainda este ano, na altura em que se assinalam os 200 anos do desembarque das tropas inglesas na Figueira da Foz. Contudo, essa pretensão poderá sair gorada. É que a expectativa da Junta esbarra na vontade do proprietário do imóvel que não o pretende alienar.

O presidente da Câmara da Figueira da Foz, Duarte Silva, presente na cerimónia de apresentação do programa festivo, manifestou "disponibilidade" da autarquia para "ajudar na aquisição" daquele imóvel histórico. "A Câmara está disposta a ajudar na compra da casa, obviamente dentro das nossas possibilidades financeiras", afirmou o edil social-democrata.

Quanto à programação comemorativa na freguesia de Lavos, o ponto alto atinge-se no próximo dia 3 com a inauguração do monumento/memorial evocativo do desembarque das tropas inglesas, a sessão solene evocativa da efeméride com uma palestra a cargo do Coronel Américo José Henriques e o descerramento de uma placa na casa que acolheu o Duque de Wellington, em Armazéns de Lavos. Uma exposição alusiva à Guerra Peninsular, animação, música e uma missa completam o cartaz comemorativo. "Penso que é uma forma digna de comemorar esta data", rematou Isabel Oliveira.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG