Acidente Alfa Pendular

Veículo abalroado pelo Alfa passou sinal vermelho em Soure

Veículo abalroado pelo Alfa passou sinal vermelho em Soure

O Veículo de Conservação de Catenária (VCC) que foi abalroado na sexta-feira pelo comboio Alfa Pendular, em Soure, distrito de Coimbra, passou um sinal vermelho e entrou na Linha do Norte, refere este sábado o organismo responsável pela investigação.

Segundo uma nota Informativa do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), a que a agência Lusa teve acesso, o VCC "do gestor da infraestrutura tinha marcha estabelecida para a sua deslocação entre o Entroncamento e Mangualde", era tripulado por dois trabalhadores (as duas vítimas mortais) e "não iria realizar quaisquer trabalhos no decurso da sua viagem".

Pelas 15.12, explica o GPIAAF, o VCC parou na via de resguardo da estação de Soure a aguardar pela passagem do Alfa Pendular mas, alguns momentos depois, "por razões, que neste momento estão indeterminadas e que serão aprofundadas no decurso da investigação, o VCC reinicia a sua marcha, ultrapassando o sinal que se mantinha com aspeto vermelho" e invade a linha I, onde circulava o Alfa Pendular.

"Os VCC, tal como a generalidade dos veículos de manutenção de via no nosso país, não estão equipados com o sistema CONVEL, motivo pelo qual não foi desencadeada a frenagem automática resultando na consequente imobilização do VCC 105 antes de atingir um ponto de perigo", sublinha a nota informativa.

A investigação conta que o atravessamento da estação de Soure pelo Alfa Pendular "foi feito à velocidade prevista de cerca de 190" quilómetros hora, momento em que os maquinistas visualizaram o sinal vermelho na linha[I] do Norte (sinal passou de verde para vermelho porque o VCC entrou na linha I) e o VCC a convergir para a via em que circulavam.

Após a ultrapassagem do sinal vermelho pelo VCC às 15.25, o sinal da linha I passou automaticamente a vermelho. Desde a entrada do VCC na Linha do Norte até ao embate passaram 20 segundos.

"O freio foi acionado, sem que tal pudesse impedir a colisão, a qual ocorreu às 15.26. Na sequência da colisão, descarrilaram os primeiros dois veículos do CPA 4005 [Alfa Pendular] e o VCC foi arrastado à sua frente durante cerca de 500 metros, até à imobilização do conjunto", refere a nota.

O descarrilamento do Alfa Pendular, no concelho de Soure, distrito de Coimbra, com 212 passageiros, provocou na sexta-feira dois mortos e 44 feridos, oito dos quais graves, segundo a última atualização do Comando Distrital de Operações (CDOS) de Coimbra.

Quarenta e um dos 44 feridos do descarrilamento do comboio Alfa Pendular já tiveram alta e os outros três permanecem internados, disseram hoje à Lusa fontes hospitalares.

Os trabalhos de remoção das composições envolvidas no acidente na linha ferroviária do Norte e de reabilitação da via e da catenária já começaram, mas ainda não é possível prever quando será restabelecida a circulação, segundo a Infraestruturas de Portugal.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG