Operações de busca

Retirado corpo de uma das vítimas da derrocada de pedreira em Borba

Retirado corpo de uma das vítimas da derrocada de pedreira em Borba

As autoridades resgataram o corpo de uma das vítimas da derrocada da estrada para uma pedreira em Borba.

Segundo apurou o JN, foi resgatado o corpo de Gualdino Pita, um dos dois trabalhadores que morreram na derrocada. Estava acompanhado de João Xavier, de 58 anos, de Pardais, Vila Viçosa. Ficaram encarcerados na escavadora que estava a trabalhar na segunda-feira.

As vítimas mortais confirmadas eram funcionários da pedreira A.L.A. Almeida. Não se confirma o desaparecimento, que chegou a ser equacionado, de um terceiro funcionário.

Num balanço feito às 18 horas desta terça-feira, a GNR confirma os dois mortos e três homens desaparecidos.

Segundo a fonte do Comando Territorial de Évora da Guarda Nacional Republicana (GNR), os dois mortos confirmados, operários da empresa que explora a pedreira, são um homem de 50 anos, que residia em Bencatel, no concelho de Vila Viçosa, e outro de 57 anos, que morava em Vila Viçosa, no distrito de Évora.

A fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora adiantou que continuam os trabalhos para o resgate do corpo da segunda vítima mortal confirmada, tendo presente "as condições de segurança" dos operacionais, por se tratar de um terreno "instável".

De acordo com a fonte da guarda, estão dados como desaparecidos, desde segunda-feira, dois homens residentes em Bencatel, concelho de Vila Viçosa, e um idoso de Alandroal, com as autoridades a admitir terem sido vítimas do deslizamento de terras para a pedreira.

Segundo apurou o JN, dois cunhados estão entre as vítimas da derrocada da Estrada Nacional 255, em Borba. Seguiam numa carrinha que caiu à pedreira no momento em que a via ruiu.

Uma das vítimas, de Bencatel, terá dito à mulher que ia a Borba ao contabilista e não mais foi visto ou contactado. O telemóvel está sem dar sinal desde segunda-feira à tarde.

Uma outra viatura, que seguia também na direção Vila Viçosa-Borba, foi levada pelo desabamento, apurou o JN junto de fonte oficial. Não se sabe ainda quantas pessoas seguiam neste carro, de cor branca.

Segundo a GNR, um homem de 80 anos, de Alandroal, dado como desaparecido na segunda-feira à noite, poderá ser uma das vítimas do desabamento da estrada.

Não foi ainda possível apurar se circulava alguma viatura no sentido oposto, Borba-Vila Viçosa.

Um número indeterminado de pessoas está desaparecido desde a tarde de segunda-feira, quando um troço da E255, entre Borba e Vila Viçosa, desabou para dentro de duas pedreiras contígua àquela via, uma pertencente a Jorge Plácido Simões, desativada, e outra à empresa A.L.A. Almeida, em laboração.

"A segurança estava lá", disse Jorge Plácido Simões, proprietário de uma pedreira, desativada, das duas afetadas pela derrocada. "Não quero estar a exagerar, mas havia uma margem de cinco seis metros para a estrada. A pedreira tinha um muro e rede de proteção", acrescentou, em declarações à SIC Notícias, esta terça-feira de manhã.

Empresários do setor do mármore, ouvidos pela Lusa, esta terça-feira de manhã, consideram que a "tragédia" poderia ter "sido evitada" porque "os problemas" da estrada estavam identificados.

Jorge Simões disse ter um relatório elaborado pelo Instituto Superior Técnico a garantir a estabilidade da pedreira, sustentando que fez os trabalhos que aqueles estudos, realizados em "2011 ou 2012", consideraram necessários. Esclareceu que a exploração estava desativada há cerca de um ano "por não ser viável" economicamente.