Covid-19

"É a confirmação da tragédia": 54 dos 63 utentes do lar de Foz-Côa infetados

"É a confirmação da tragédia": 54 dos 63 utentes do lar de Foz-Côa infetados

Cinquenta e quatro dos sessenta e três utentes do lar de Foz-Côa estão infetados com o Covid-19.

Os resultados foram conhecidos ao fim do dia deste sábado, um dia depois da depois de todos os idosos terem sido rastreados pela unidade móvel gerida em parceria pela associação humanitária dos bombeiros e a Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda.

"É a confirmação da tragédia que já esperávamos" disse ao JN António Morgado, o Provedor da Santa Casa da Misericórdia, que detém o lar.

Além dos idosos, há mais cinco funcionários que testaram positivo, elevando-se para 17 as trabalhadoras que vão ficar em isolamento. Contas feitas, a instituição fica com metade dos funcionários inoperacionais, o que faz aumentar as preocupações do Provedor.

"O Hospital quer que fiquemos a tratar os idosos infetados por estarem na maioria assintomáticos, mas não temos condições para isso", confessou perplexo António Morgado. "Serei mesmo forçado a chamar o INEM porque nós não podemos ficar com estes idosos doentes", referiu.

Quanto aos utentes que testaram negativo serão transferidos para o centro de formação agrária e não para o centro de alto rendimento do Pocinho como chegou a ser pensado.

"Como são poucos ficam no local onde já estão a ser preparadas as refeições dos utentes do apoio domiciliário", informou ainda o Provedor. O primeiro utente do lar de Foz-Côa testado positivo para Covid-19 tem 92 anos e está desde quinta-feira internado no hospital da Guarda. O segundo faleceu ontem aos 99 anos.

Outras Notícias